conecte-se conosco


Entretenimento

Sikêra Jr pede apoio das igrejas após ser condenado a pagar R$ 30 mil a modelo trans

Publicado

Sikêra Jr foi condenado a pagar R$ 30 mil de indenização por danos morais à modelo transgênero Viviany Beleboni, famosa por ter representado Jesus Cristo crucificado na Parada do Orgulho LGBT de 2015.

Durante o programa Alerta Nacional, (veja vídeo no final) exibido pela RedeTV!, o apresentador exibiu imagens do desfile se referindo a ela como “raça desgraçada”. A defesa de Sikêra pode recorrer da decisão.

Na sentença, o juiz Sidney da Silva Braga, da 4ª Vara do Foro Central Cível do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), condenou Sikêra por usar a imagem de Viviany ao comentar o assassinato de uma bebê cometido por um casal lésbico.

“A autora não tem qualquer relação com a notícia e, assim, não pode ter sua imagem, sem sua autorização, utilizada para ilustrar a narrativa de um crime do qual não está sendo acusada, somente porque a pessoa efetivamente acusada, como a autora, seria homossexual”, diz a decisão.

O juiz não considerou a opinião de Sikêra como exercício da liberdade de expressão, pois o apresentador atingiu a honra da modelo transgênero ao associá-la a um homicídio e chamá-la de “raça desgraçada” no programa exibido em 14 de fevereiro deste ano.

“Trata-se de ofensa que extrapola o direito de crítica à pessoa pública para desaguar na desnecessária ofensa pessoal. Não se trata de discutir a indispensável garantia constitucional da liberdade de imprensa, porque, no caso dos autos, não há interesse público na divulgação e propagação de ofensas dessa natureza, que estão desvinculadas da notícia em si (o crime de homicídio) e em nada contribuem para o aperfeiçoamento da democracia e para o respeito e tolerância às diferenças”, determinou o magistrado.

No Alerta Nacional desta sexta, Sikêra Jr comentou a derrota na Justiça e pediu apoio das igrejas cristãs. Ele alegou estar defendendo “o senhor Jesus Cristo” como justificativa para ofender a modelo que representou a crucificação na Parada LGBT.

“Neste momento, eu me sinto só. Eu fui o único na televisão brasileira a denunciar essa palhaçada que fizeram com a imagem do meu senhor Jesus Cristo. Eu fui o único que botei minha cara a tapa. Eu preciso do apoio do Brasil, senão vão engolir a gente mais uma vez. Eu preciso do seu apoio, da Igreja Católica, da igreja evangélica, ecumênica, budista, enfim, eclesiástica! Eu preciso da sua ajuda, eu preciso da sua força agora. Agora é a hora da união de quem acredita em Jesus Cristo!”, suplicou o apresentador.

Sikêra ainda rogou praga contra Viviany Beleboni: “E você que fez isso, o seu chega, pode ter certeza, e não vai partir de mim e de nenhum ser humano. você vai receber o seu na hora certa. E você vai perguntar: ‘Por quê? Eu só prego o amor!’. Aguarde!”.

Leia mais:  Cantor Gusttavo Lima deixa mansão 'faraônica' após separação
publicidade

Entretenimento

Whindersson Nunes envia 217 cilindros de oxigênio a Manaus

Publicado

Engajado com os problemas da saúde no norte do Brasil, Whindersson Nunes compartilhou uma foto mostrando que enviou mais cilindros de oxigênio a Manaus, no Amazonas.

“Embarque de 217 cilindros feito hoje às 6h30, chegam hoje às 10h30 em Manaus. Já acordei suave, man”, postou o humorista. “Estamos engajados em salvar vidas”, completou.

Whindersson já havia iniciado as ações na semana passada. No sábado (16), ele mostrou que 60 respiradores seriam distribuídos em seis hospitais. “Mandei pra Manaus pra garantir que nenhum arrombado desvie os aparelhos, hoje em dia está difícil confiar”, postou.

A capital amazonense entrou em colapso em meio à pandemia do novo coronavírus por conta do aumento de pacientes infectados pela Covid-19. Até o balanço divulgado em 16 de janeiro, o Amazonas havia contabilizado 229.367 infectados e 6.123 mortes causadas pelo coronavírus.

Leia mais:  'Brota no Bailão': Bonner vira meme após entrevista com Túlio Gadelha
Continue lendo

Entretenimento

Companheira de Paulinho do Roupa Nova briga na Justiça por herança

Publicado

Elaine Soares Bastos Mendes entrou com ação solicitando reconhecimento de união estável com cantor, que morreu há pouco mais um mês; ela alega que os filhos do artista a deixaram de fora do inventário; Twigg, primogênita de Paulinho, afirma que não procede a alegação da ex-companheira do pai

A psicóloga e advogada Elaine Soares Bastos, de 52 anos, companheira de Paulinho, vocalista do grupo Roupa Nova que morreu há um mês e quatro dias depois de complicações da Covid-19, entrou na Justiça contra Twigg de Souza Santos e Pedro Paulo Castor dos Santos, filhos do músico, a fim de solicitar o reconhecimento de união estável com Paulinho. Elaine afirmou que os os dois não a incluíram no inventário sobre a questão da divisão de bens do vocalista do Roupa Nova. A notícia foi dada em primeira mão pelo portal Grande Tijuca, do Rio.

“Soube que eles abriram o inventário logo depois da morte do pai, no dia 16 de dezembro, na 7ª Vara da Comarca da capital, e não me incluíram. Desde o início, queria fazer tudo de forma consensual, não queria, nem quero, briga nem confusão. Vivi durante 16 anos com o Paulinho uma vida marital. Nosso acervo de fotos de viagens já mostra. A vida do Paulinho era eu e ele era a minha vida. Ele era totalmente dependente emocionalmente de mim e eu também dele”, afirmou.

Elaine afirmou que vivia para o músico, por quem era apaixonada. “O Paulinho me chamava de ‘namorada’. Sou dependente dele no IRPF desde 2006 e já dei entrada no INSS para ter direito à pensão. O que estou fazendo é uma regulamentação de união estável, mas os filhos dele estão dificultando porque querem que eu vá para a rua, virar mendiga”, afirmou.

A psicóloga disse estar extremamente abalada com a perda do companheiro e que está vivendo à base de remédios psiquiátricos. “Tudo o que fiz foi por amor e faria novamente. O Paulinho começou com o linfoma em 2017. Em agosto do ano passado, foi internado no CHN (hospital em Niterói) para fazer o transplante. Fiquei 33 dias com ele no hospital. Quando ele teve alta, pegou Covid-19. E eu também. A maior preocupação dele era como ia ficar o meu padrão de vida, ele queria montar algo para mim. Fiquei muito surpresa por não ter sido incluída no inventário porque não esperava. Fiquei 16 anos casada com ele. Estou vivendo o meu luto. Só saio de casa para ir ao psiquiatra e volto”, falou.

 

Leia mais:  'Brota no Bailão': Bonner vira meme após entrevista com Túlio Gadelha
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana