conecte-se conosco


Internacional

‘Situação é séria’, diz Merkel sobre ‘nova pandemia’ na Europa

Publicado

Chanceler alemã anunciou novas medidas de restrição para abril, com fechamento de comércio e contato mínimo entre pessoas

Um feriado de Páscoa quase confinado: a maioria dos comércios será fechada e os serviços religiosos cancelados ou organizados online na Alemanha para conter a “nova pandemia” da covid-19 causada pela variante britânica. 

Durante cinco dias, de 1º a 5 de abril, o país viverá uma “pausa”, com contatos entre pessoas limitados ao mínimo e apenas lojas de alimentos autorizadas a abrir, anunciaram nesta terça-feira (23) Angela Merkel e os 16 Länder, após mais de doze horas de negociações.

“A situação é séria, muito séria”, alertou a chanceler. “O número de casos está aumentando exponencialmente e os leitos de terapia intensiva estão se enchendo de novo”, disse Merkel em uma entrevista coletiva realizada no meio da noite.

Nessas condições, “é importante aproveitar o período da Páscoa para conter a dinâmica das infecções”, ressaltou nesta terça o vice-chanceler, Olaf Scholz.

A taxa de incidência atingiu hoje 108,1 casos por 100 mil pessoas, em alta constante nas últimas semanas, com mais de 7.700 novos casos e 50 mortes registradas nas últimas 24 horas.

Pandemia ‘mais letal’

A Alemanha vive uma “nova pandemia (…) claramente mais letal, claramente mais infecciosa e contagios”, advertiu a chanceler.

Um dispositivo batizado de “frenagem de emergência”, negociado no início de março e que prevê restrições adicionais quando a taxa de incidência ultrapassa 100, será acionado, segundo Merkel.

Já não se trata de considerar flexibilizações: as restrições em vigor desde o final de 2020, como as restrições à participação em reuniões privadas, o fechamento de certas lojas não essenciais e também de locais de cultura e lazer, estão prorrogadas até 18 de abril.

A hipótese de toque de recolher foi, no entanto, descartada, assim como o fechamento das escolas. As aulas já haviam sido interrompidas de dezembro a fevereiro e muitos alunos ainda não voltaram às aulas ou frequentam apenas um dia em cada dois.

A maioria dos locais culturais, como clubes esportivos, no entanto, permanecerá fechada, pelo menos até meados de abril, apesar das tentativas dos teatros e salas de espetáculos de Berlim de receber novamente público testado no mesmo dia. 

Para lidar com a crise, o governo e as regiões apostam na campanha de vacinação, que ainda não deslanchou. O país, no fim do pelotão europeu, vacinou com duas doses menos de 5% de sua população.

“Estamos numa corrida pela vacinação, que deve se tornar eficaz o mais rápido possível”, alertou a chanceler.

Neste contexto, ela levantou a voz contra a vacina de Oxford, produzida pela anglo-sueca AstraZeneca, que vem acumulando atrasos nas entregas, e afirma apoiar a ameaça da União Europeia de bloquear as exportações de vacinas para fora da Europa.

Essas novas medidas surgem em um momento em que o descontentamento aumenta entre a população, após mais de um ano de esforços. 

Os aviões que partem para Maiorca, um destino popular para os alemães e que deixou de ser zona de risco, estão cheios de turistas.

“No geral, o fato de haver recepções de turistas em Maiorca criou uma situação que não é simples”, disse Merkel, mais uma vez aconselhando os alemães “a não viajar este ano”.

O governo e as regiões concordaram em exigir que os turistas vindos do exterior sejam testados antes de embarcar no avião de volta. 

“A impaciência não deve se tornar nossa fraqueza”, argumentou o ministro-presidente da Bavária, Markus Söder, defensor de severas restrições desde o início da epidemia. Ele também é um dos favoritos para suceder Merkel.

Mas, salpicado por escândalos envolvendo alguns deputados e criticado por sua gestão da pandemia, o campo conservador da chanceler não tem mais garantia de vencer as eleições legislativas de 26 de setembro.

Leia mais:  Em mensagem, Kim Jong-un reafirma que Coreia do Norte está livre da Covid-19
publicidade

Internacional

Depois de expulsar Universal, governo de Angola suspende TV Record no país

Publicado

O governo de Angola suspendeu a programação da TV Record no país por “inconformidades” em relação aos requisitos legais para o exercício da atividade jornalística em Angola. O ministério alega por exemplo “que a empresa Rede Record de Televisão (Angola), Limitada, que responde pela TV Record África, tem como diretor-executivo um cidadão não nacional”.

A suspensão vem no rastro da expulsão da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) daquele país, após denúncias de pastores e fiéis.

A IURD é comandada por Edir Macedo, brasileiro que se autointitula ‘bispo’. Ele atualmente vive entre Miami (EUA) e São Paulo.

As polêmicas envolvendo a IURD já atingem a Argentina, que também vem estudando a possibilidade de expulsar a igreja e Portugal, onde uma série de reportagens mostrou um escandaloso esquema de adoção ilegal de crianças.

Leia mais:  Enfermeira é suspeita de tentar matar cinco bebês com morfina
Continue lendo

Internacional

Gato é capturado após tentativa de introduzir drogas em presídio

Publicado

Substâncias ilícitas foram amarradas com pano junto ao corpo do felino, para serem distribuídas em centro penitenciário do Panamá

O gatinho acima foi capturado por autoridades panamenhas após tentar introduzir drogas no Centro Penitenciário Nova Esperança, na província de Colón. O “Narcogato”, como ficou conhecido, foi surpreendido por agentes penitenciários e policiais ainda do lado de fora da prisão, que comporta cerca de 1.700 detentos.

As substâncias ilícitas foram amarradas com tiras de pano ao redor do corpo do felino. Em entrevista ao canal Telemetro, o promotor Eduardo Rodríguez disse que gato possivelmente transportava cocaína, crack e maconha.

A engenhosidade dos criminosos fez com que o Ministério Público do Panamá anunciasse nas redes uma força-tarefa, que investigará o uso de animais na transferência de drogas para dentro presídio em questão.

Até o momento, as autoridades suspeitam que os bichos usados nessa modalidade são atraídos por meio de alimentos.

Andrés Gutiérrez, diretor do Sistema Penitenciário do Panamá, afirmou que apreensões do tipo são baseadas nos esforços para evitar que substâncias ilegais e itens proibidos cheguem aos presídios do país.

“Não vamos baixar a guarda”, disse ao jornal Panamá América, “e assim manter um ambiente adequado para o desenvolvimento de programas de ressocialização.”

Quanto ao “Narcogato”, fontes do governo local afirmam que ele foi entregue aos cuidados de uma fundação de defesa dos animais.

Aparentemente, ele não sofreu nenhum ferimento durante a operação de resgate e passa bem.

Leia mais:  Ciclista sobrevive após cair de uma ponte na Itália; veja o vídeo
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana