conecte-se conosco


Internacional

Sonda da Nasa busca vida extraterrestre nas luas de Júpiter

Publicado

Ambiente remoto e violento das luas de Júpiter é provavelmente o melhor lugar para se encontrar vida alienígena no sistema solar

Há poucos dias, a sonda Juno, da Nasa, sobrevoou Ganimedes, a maior lua do sistema solar, que orbita Júpiter e tem seu próprio campo magnético alimentado por um núcleo de metal fundido escondido sob uma camada de gelo permanente de 800 km de espessura.

A sonda fez o mais próximo sobrevoo deste gigante gelado nos últimos 21 anos e tirou algumas das imagens de maior resolução já feitas deste satélite, incluindo seu lado mais distante. Este ambiente remoto e violento das luas de Júpiter é provavelmente o melhor lugar para se encontrar vida alienígena no sistema solar.

“Se tomarmos as decisões corretas, poderemos confirmar a existência de vida em uma dessas luas em cerca de 20 anos”, diz Lucas Paganini, engenheiro argentino nascido em Mendoza há 41 anos e líder na exploração do Sistema Solar na Nasa e cientista do programa para a missão Juno.

Esta missão explora um dos lugares mais perigosos de nossa vizinhança cósmica. Júpiter é o maior planeta orbitando o Sol. Suas camadas internas agem como um dínamo enorme, gerando grande radiação de partículas carregadas que atingem constantemente a armadura de titânio da nave. 

Paganini lembra que o objetivo principal da missão era focar no estudo de Júpiter e voar pela primeira vez sobre seus pólos. Concluída sua missão “oficial”, a Nasa aprovou uma extensão de suas operações até setembro de 2025, se é que a veterana sonda será capaz de aguentar até lá. 

“É muito interessante ver como essa radiação começa a afetar os instrumentos de bordo”, destaca Paganini. “Pode significar a perda de alguns deles, mas é um conhecimento essencial para desenhar nossas próximas missões”, acrescenta. 

A espaçonave planeja voar sobre Ganimedes em 21 de julho e, na sequência, direcionar suas câmeras para Europa, outro satélite de Júpiter ainda mais propício para a busca de vida. A primeira vez que a humanidade viu Europa de perto foi graças à espaçonave Voyager, que há 40 anos exibia sua superfície gelada coberta com listras avermelhadas.

Muitos anos depois, a equipe de Paganini usou um dos maiores telescópios ópticos da Terra, localizado no topo de um vulcão havaiano, para analisar os gases presentes naquela lua. Em um estudo histórico, eles confirmaram que havia vapor de água e que poderia vir do oceano salino escondido atrás de uma espessa camada de gelo com vários quilômetros de espessura. 

Na Europa, o oceano subterrâneo pode reunir todas as condições para os seres vivos habitarem: água em contato com rochas, energia, compostos essenciais para a vida e o tempo. Júpiter foi o primeiro planeta a se formar após o nascimento do Sol, cerca de 5 bilhões de anos atrás. Europa e Ganimedes apareceram logo depois dos escombros que cercam o planeta gigante.

“Na verdade, sabemos muito pouco sobre a história de como Europa e o resto das luas de Júpiter se formaram”, disse Scott Bolton, o cientista-chefe de Juno, ao El País. “O que sabemos é que este ambiente é como um sistema solar em miniatura, onde a força gravitacional de Júpiter faz com que Europa se deforme, e isso gera calor em seu interior. Também existe a possibilidade de que no interior do oceano existam fontes hidrotermais, lugares que na Terra estão cheios de micróbios apesar de estarem em total escuridão”, destaca.  

A espaçonave americana planeja sobrevoar Europa em 2022 a apenas 320 km da superfície. A última vez que uma espaçonave passou tão perto desta lua foi há 21 anos, durante a missão Galileo. Juno planeja mapear a superfície congelada para comparar suas imagens muito mais detalhadas com as de seu antecessor e descobrir se houve mudanças que possam indicar processos hidrológicos.

Leia mais:  China isola cidades e 18 milhões de habitantes não podem viajar
publicidade

Internacional

‘Homem-Aranha’ invade supermercado e briga com clientes e funcionários

Publicado

O homem fantasiado nocauteou uma mulher e causou tumulto no estabelecimento em Londres

Um homem fantasiado de Homem-Aranha invadiu um supermercado em Londres e partiu para cima de clientes e funcionários. O covarde agressor nocauteou uma mulher, que imediatamente caiu no chão. Seis pessoas ficaram feridas e cinco foram presas depois de causarem o tumulto em cenas inacreditáveis e lamentáveis.

Atenção: imagens fortes!

As imagens, que viralizaram na internet, mostram a confusão que aconteceu na noite de quinta-feira (22) em Londres, na Inglaterra. Assustadas, algumas pessoas filmam as cenas de violência, enquanto outras tentam apartar a confusão. Gritos e xingamentos são ouvidos. Veja abaixo um trecho (e um outro momento clicando aqui):

Cinco pessoas foram presas por causa da briga. Segundo o The Sun, duas meninas, de 17 e 18 anos, e três homens, de 31, 35 e 37 anos, foram detidos pela polícia. Uma mulher de 20 anos foi levada ao hospital com ferimentos leves; outras cinco receberam atendimento médico no local.

Homem-Aranha invade supermercado e agride funcionários e clientes (Foto: Reprodução/Twitter)

“A polícia foi chamada às 22:40hrs de quinta-feira, 22 de julho, por causa de um grupo de pessoas envolvidas em um tumulto em um supermercado em Lavender Hill, SW11. Os oficiais compareceram junto ao Serviço de Ambulâncias de Londres. Uma mulher de 20 anos foi levada ao hospital com ferimentos leves. Outras cinco pessoas foram atendidas no local”, disse o porta-voz da polícia ao site Metro.

Não está claro o motivo que teria iniciado a confusão. Nas redes sociais, as pessoas condenaram os agressores que atacaram mulheres e idosos, além de criticarem o fato de ninguém apartar de fato a briga: “Nenhum dos homens ao redor se preocupa em intervir”, criticou uma usuária. “Mundo enlouquecido”, comentou outro.

Leia mais:  China isola cidades e 18 milhões de habitantes não podem viajar
Continue lendo

Internacional

Menino de 3 anos morre após ir ao dentista para tratar cáries e receber anestesia

Publicado

A família da criança ainda está aguardando os resultados da autópsia do hospital

EUA – Para a maioria das pessoas, ir ao dentista é um verdadeiro incômodo. Mas no caso da criança que você conhecerá nesta história, o momento foi mais difícil do que o esperado, pois o paciente acabou perdendo a vida após a ida ao profissional de saúde bucal. O caso vem comovendo nas redes sociais.

O pequeno Abiel tinha apenas três anos de idade quando foi levado ao dentista. Por estar apresentando cáries, sua mãe, identificada apenas pelo nome de Nancy, o levou ao consultório para tratar do problema, mas a mulher nem imaginava que iria ver o filho com vida pela última vez.

Dentro da sala do dentista, indicado por amigos de Nancy, Abiel recebeu a anestesia para realizar o procedimento adequado para seu problema. Tudo estava correndo bem, até que, cerca de meia hora depois, a bochecha da criança começou a inchar de maneira anormal, o que preocupou o médico. 

Além do inchaço, os batimentos de Abiel começaram a cair. A mãe do menino estava do lado de fora do consultório esperando sua sessão terminar.

Ela não acreditou quando viu chegar uma ambulância para o filho. “Tudo vai ficar bem“, foram as últimas palavras da genitora, tentando acalmar o menino.

Os médicos do hospital de uma cidade do Kansas, nos Estados Unidos, chegaram a tentar reanimar o garoto, mas infelizmente não tiveram sucesso no procedimento.

Depois que a morte de Abiel foi confirmada, o corpo foi levado para a autópsia para descobrir o que provocou a morte da vítima. Os resultados do exame ainda estão sendo aguardados pela família.

Leia mais:  OMS declara pandemia de coronavírus
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana