conecte-se conosco


Brasil

Suspeito de ligação com mortes de jornalista inglês e indigenista se entrega à polícia

Publicado

Suspeito de ligação com mortes de jornalista inglês e indigenista se entrega à polícia

A Polícia Civil do Amazonas prendeu na manhã deste sábado (18) um terceiro homem suspeito de envolvimento na morte do jornalista inglês Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira. O suspeito é Jeferson da Silva Lima, conhecido como “Pelado da Dinha”. 

Phillips e Pereira desapareceram na região do Vale do Javari, no Amazonas, no último dia 5. Dois irmãos foram presos após confessarem ter matado os dois. Perícia feita pela Polícia Federal nos restos mortais encontrados na região confirmou que parte do material era do jornalista britânico. A polícia ainda faz testes para confirmar a morte de Pereira.

De acordo com nota divulgada pela Polícia Federal, que coordena a força-tarefa montada para elucidar o crime, Lima se entregou na Delegacia de Polícia de Atalaia do Norte nesta manhã. Ele será interrogado e encaminhado para audiência de custódia.

Pereira e Phillips foram vistos pela última vez no dia 5 de junho no Vale do Javari, no Amazonas. Eles partiram rumo à cidade de Atalaia do Norte, mas não chegaram ao destino. Eles pretendiam realizar entrevistas para a produção de um livro e reportagens sobre invasões nas terras indígenas da região. Pescadores admitiram ter matado os dois de forma cruel.

Leia mais:  Diretório do PT em Manaus tem energia cortada por fazer um ‘gato’

A Polícia Federal escoltou, nesta quarta-feira (15), o suspeito de matar e desaparecer com os corpos do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista brasileiro Bruno Pereira, que estão sumidos desde 5 de junho

Um dos suspeitos confessou aos policiais ter matado o indigenista e o jornalista, esquartejado seus corpos e ateado fogo neles. Já estavam presos pelo crime Amarildo dos Santos, mais conhecido como “Pelado”, e seu irmão, Osoney da Costa.

Região de conflitos

A região da Terra Indígena Vale do Javari é palco de conflitos que envolvem garimpo, extração de madeira, pesca ilegal e narcotraficantes. Com 8,5 milhões de hectares, a terra indígena fica localizada no extremo oeste do Amazonas, na fronteira com o Peru, e abriga ao menos 14 grupos isolados — a maior população indígena não contatada do mundo.

A área é a segunda maior terra indígena do país — atrás apenas da Yanomami, com 9,4 milhões de hectares — e tem acesso restrito, feito apenas por avião ou barco.

publicidade

Brasil

Preço médio da gasolina cai 3,5% nos postos com efeito do ICMS

Publicado

Segundo a ANP, litro do combustível foi de R$ 7,390 para R$ 7,127; já o diesel tele leve queda, de R$ 7,568 para R$ 7,554

Os preços dos combustíveis registraram queda nos postos na semana, segundo levantamento da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis), divulgado nesta sexta-feira (1º). Os valores já refletem a redução de tributos do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) nos estados.

O valor médio da gasolina caiu 3,5%, de R$ 7,390 para R$ 7,127. O etanol recuou 3,07%, passando de R$ 4,873 para R$ 4,723. Já o preço médio do diesel teve leve queda, de R$ 7,568 para R$ 7,554 (0,18%). 

Na semana anterior, os combustíveis havia registrado aumento, com o diesel superando o preço da gasolina pela primeira vez, após reajuste nas refinarias, de 5,2% na gasolina e de 14,2% no diesel, no último o dia 17. 

Numa tentativa de abaixar os preços nos posto, os impostos federais foram zerados, e o ICMS (tributo estadual) passou a ser limitado a 18%. Lei sancionada no dia 23 de junho pelo presidente Jair Bolsonaro fixou um teto para a cobrança do imposto sobre combustíveis, energia elétrica, telecomunicações e transporte urbano. 

Leia mais:  Blogueira casa com tio-avô de 93 anos em 'estado debilitado', que morreu 43 dias depois e Justiça nega pensão

Alguns estados constestaram, alegando que a lei federal prejudica o orçamento estadual, dada a importância do ICMS para a arrecadação, e por isso esperam reverter a determinação no STF. Outros já anunciaram a redução, como São Paulo, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Continue lendo

Brasil

Suzano Bens de Consumo lança ação para fomentar o ciclo de produção sustentável de seus produtos

Publicado

Como parte da iniciativa, a companhia disponibilizará ao mercado uma nova versão do papel higiênico Mimmo Folha Dupla com embalagem feita de papel

A Suzano Bens de Consumo, unidade de negócios da Suzanolança a partir deste mês uma ação que visa ressaltar o ciclo de produção sustentável de seus produtos de higiene e limpeza. Além de renovar a identidade visual das embalagens de todos os produtos do segmento, a companhia desenvolveu uma nova versão da embalagem do papel higiênico Mimmo Folha Dupla 12 rolos feita com papel produzido a partir de matéria-prima de fontes renováveis, em substituição ao plástico.

Uma das etapas para a construção do projeto foi a realização de uma pesquisa de mercado qualitativa feita com mulheres, mães, da classe C, para entender a melhor forma de comunicar sustentabilidade para a consumidora média brasileira. A escuta ativa identificou que elas são conscientes da temática, já praticam algumas ações sustentáveis no dia a dia, mas entendem que a conscientização ainda é um caminho a ser percorrido e buscam informações claras e simples por parte das empresas.

O resultado contribuiu para a Suzano Bens de Consumo renovar as embalagens de seus produtos de higiene e limpeza com uma identidade visual mais aderente às necessidades dos consumidores e consumidoras e alinhada ao conceito da inovabilidade, que é a inovação a favor da sustentabilidade, presente em todos os processos e produtos da companhia. No final de 2021, a Suzano Bens de Consumo alcançou um market share de 11,4% no mercado de papel higiênico do Brasil, segundo a Nielsen, consolidando-se como a 3ª maior empresa do segmento a nível nacional.

Leia mais:  Beneficiários do Bolsa Família são convocados para pesagem obrigatória

“A sustentabilidade é intrínseca ao nosso negócio nesses quase 100 anos de história. A partir desse novo projeto, queremos que os consumidores se identifiquem com o nosso compromisso com o meio ambiente e tenham a consciência de estarem adquirindo produtos de fontes renováveis, feitos a partir da árvore plantada”, afirma Débora Pinto Bertolozzi, gerente executiva de Marketing da Unidade de Bens de Consumo da Suzano. A companhia completou 98 anos em 2022.

As novas embalagens contêm a assinatura “Juntos, nós plantamos o futuro” para reforçar que a Suzano acredita que o consumidor faz parte desse ciclo sustentável, o selo “Árvores que Renovam” com dados sobre o ciclo produtivo dos produtos Suzano, além de um QR Code que leva o consumidor à aba de Sustentabilidade no site da companhia.

Além da renovação visual das embalagens, uma das novidades do projeto é o lançamento do Mimmo Eco Pack, nova embalagem do papel higiênico Mimmo Folha Dupla, com 12 rolos, feita de papel e produzida na unidade de Cachoeiro do Itapemirim (ES). A inovação é fruto de um desenvolvimento conjunto com a Unidade de Papel e Embalagens da Suzano e utiliza o Greenpack®, papel feito especialmente para embalagens flexíveis.

Leia mais:  Mulher é enterrada viva e escapa de cova rasa na BA: 'a gente fica abalado', diz filho

A nova linha de produtos Greenpack® é uma solução versátil e sustentável para donos de marca que querem substituir o plástico de suas embalagens. Tratam-se de papéis mais resistentes e que possuem barreiras biodegradáveis, contribuindo para agregar diferentes funcionalidades ao papel. Para a nova embalagem do Mimmo, foi utilizado o papel Greenpack® S da Suzano, uma versão termoselável. Além disso, a Suzano contou com a tecnologia de conversão e impressão da Inapel Embalagens Ltda.

A iniciativa está alinhada a um dos “Compromissos para Renovar a Vida” da Suzano, um conjunto de 15 metas de longo prazo da companhia. Entre eles está o objetivo de disponibilizar 10 milhões de toneladas de produtos de origem renovável que podem substituir plásticos e derivados do petróleo até 2030.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana