conecte-se conosco


Internacional

Trump x Biden: quando saberemos o resultado das eleições nos EUA?

Publicado

Corrida pela Casa Branca está reduzida a alguns Estados cruciais, mas pode levar dias até que os votos sejam apurados

A expectativa era de que, a esta altura, já houvesse alguma pista sobre o resultado da eleição presidencial dos EUA, mas a corrida pela Casa Branca permanece indefinida.

Até agora, a apuração dos votos sugere uma disputa acirrada entre o republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden.

Mas, devido ao tempo que leva para contar os milhares de votos enviados pelo correio por causa da pandemia de covid-19, pode levar dias para se obter o resultado final.

E se os resultados forem contestados na justiça, pode levar até semanas — um cenário que pode ser bem complicado.

Quem vai ser o próximo presidente?

Não sabemos, porque ainda não foram contados votos suficientes para que qualquer um dos candidatos seja declarado oficialmente vencedor.

 Pode levar semanas para sair o resultado oficial das eleições

Mas isso não significa que eles não tenham nada a dizer.

No Estado americano de Delaware, Joe Biden afirmou: “Sabíamos que (a apuração) seria longa, mas quem diria que iríamos até amanhã de manhã, ou talvez até mais tarde!”

“Mas nos sentimos bem onde estamos. Estou aqui para dizer a vocês nesta noite que acreditamos que estamos no caminho para ganhar esta eleição”, acrescentou.

Donald Trump, por sua vez, se mostrou muito mais combativo e controverso ao discursar na Casa Branca.

Com milhões de votos legítimos a serem ainda apurados, ele autodeclarou vitória sem qualquer validade legal.

“Francamente, ganhamos esta eleição”, afirmou, falando em tom moderado. E sugeriu — sem apresentar evidências — que houve “fraude” eleitoral.

“É uma vergonha para o nosso país”, disse ele, acrescentando que pretende ir à Suprema Corte americana para contestar os resultados do pleito.

Nenhuma das principais redes de televisão ou agências de notícia americanas anunciou nada que desse credibilidade à alegação de Trump ter ganhado a eleição, tampouco de que houve fraude eleitoral.

Há uma pista sobre quem vai ganhar?

Para se tornar presidente, você não precisa necessariamente ganhar o voto popular. Em vez disso, o candidato precisa obter maioria em um sistema chamado colégio eleitoral, em que cada Estado recebe um certo número de votos ou “eleitores” mais ou menos proporcional à sua população.

Portanto, se você ganhar no Estado, você ganha seus votos. Há 538 votos estaduais em disputa — e quem obtiver pelo menos 270 deles se torna presidente.

No entanto, há alguns Estados-pêndulo (onde não há um favoritismo claro, tanto pode dar um como o outro) que decidirão as eleições, como .

E, nesses, há locais em que as autoridades nem começaram a contar os votos enviados pelo correio, ou seja, em que a tendência da votação pode mudar radicalmente.

Vamos dar uma olhada em alguns desses estados então:

Flórida: vitória prevista para Donald Trump, que deve contar com o apoio de eleitores cubanos-americanos no condado de Miami-Dade.

Arizona: o Estado não vota nos republicanos desde 1996, mas parece que pode dar vitória para Biden, que foi atrás de jovens latinos progressistas que moram lá.

Wisconsin e Pensilvânia: estes Estados ainda nem começaram a apuração dos votos enviados pelo correio, e isso pode levar dias.

Qual o resumo da apuração até agora?

Donald Trump está se saindo melhor do que o esperado, e Joe Biden não conseguiu vencer nos Estados-pêndulo que já encerraram a apuração dos votos, o que significa mais incerteza à medida que aguardamos o resultado em alguns Estados-chave.

 O voto presencial em alguns Estados gerou longas filas e números recordes de comparecimento

Perdi algo importante?

Houve alguns grandes momentos, sobretudo nas outras votações realizada, além da presidencial. Em jogo está, por exemplo, o controle do Senado.

– O senador Lindsey Graham, aliado de Trump, deve vencer seu adversário democrata, Jaime Harrison, na Carolina do Sul, uma disputa em que, em determinado momento, parecia que ele sairia derrotado.

– A republicana Marjorie Taylor Greene, defensora da teoria da conspiração QAnon, conquistou uma cadeira no Congresso.

– Ainda na corrida para ganhar o controle do Senado, os democratas perderam no Alabama, seu assento mais vulnerável, mas ganharam o Colorado dos republicanos.

– Os EUA elegeram sua primeira senadora estadual transgênero, a democrata Sarah McBride.

E agora?

Podemos ficar dias sem saber. Na verdade, este parece ser o cenário mais provável, já que essa disputa vai se voltar para os votos enviados pelo correio, que ainda não foram contabilizados em Estados como Michigan, Wisconsin e Pensilvânia.

Advogados podem se envolver. Donald Trump ameaçou entrar com processos judiciais. Isso significa que pode levar semanas.

A incerteza levará a protestos? Definitivamente haverá incerteza, mas embora muitos americanos tenham manifestado suas preocupações, é cedo demais para dizer se haverá alguma agitação significativa.

Leia mais:  Trump lançará sua própria rede social, diz ex-assessor
publicidade

Internacional

Depois de expulsar Universal, governo de Angola suspende TV Record no país

Publicado

O governo de Angola suspendeu a programação da TV Record no país por “inconformidades” em relação aos requisitos legais para o exercício da atividade jornalística em Angola. O ministério alega por exemplo “que a empresa Rede Record de Televisão (Angola), Limitada, que responde pela TV Record África, tem como diretor-executivo um cidadão não nacional”.

A suspensão vem no rastro da expulsão da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) daquele país, após denúncias de pastores e fiéis.

A IURD é comandada por Edir Macedo, brasileiro que se autointitula ‘bispo’. Ele atualmente vive entre Miami (EUA) e São Paulo.

As polêmicas envolvendo a IURD já atingem a Argentina, que também vem estudando a possibilidade de expulsar a igreja e Portugal, onde uma série de reportagens mostrou um escandaloso esquema de adoção ilegal de crianças.

Leia mais:  Enfermeira é suspeita de tentar matar cinco bebês com morfina
Continue lendo

Internacional

Gato é capturado após tentativa de introduzir drogas em presídio

Publicado

Substâncias ilícitas foram amarradas com pano junto ao corpo do felino, para serem distribuídas em centro penitenciário do Panamá

O gatinho acima foi capturado por autoridades panamenhas após tentar introduzir drogas no Centro Penitenciário Nova Esperança, na província de Colón. O “Narcogato”, como ficou conhecido, foi surpreendido por agentes penitenciários e policiais ainda do lado de fora da prisão, que comporta cerca de 1.700 detentos.

As substâncias ilícitas foram amarradas com tiras de pano ao redor do corpo do felino. Em entrevista ao canal Telemetro, o promotor Eduardo Rodríguez disse que gato possivelmente transportava cocaína, crack e maconha.

A engenhosidade dos criminosos fez com que o Ministério Público do Panamá anunciasse nas redes uma força-tarefa, que investigará o uso de animais na transferência de drogas para dentro presídio em questão.

Até o momento, as autoridades suspeitam que os bichos usados nessa modalidade são atraídos por meio de alimentos.

Andrés Gutiérrez, diretor do Sistema Penitenciário do Panamá, afirmou que apreensões do tipo são baseadas nos esforços para evitar que substâncias ilegais e itens proibidos cheguem aos presídios do país.

“Não vamos baixar a guarda”, disse ao jornal Panamá América, “e assim manter um ambiente adequado para o desenvolvimento de programas de ressocialização.”

Quanto ao “Narcogato”, fontes do governo local afirmam que ele foi entregue aos cuidados de uma fundação de defesa dos animais.

Aparentemente, ele não sofreu nenhum ferimento durante a operação de resgate e passa bem.

Leia mais:  Trump é absolvido em processo de impeachment no Senado dos EUA
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana