conecte-se conosco


Política e Governo

“UTI não é spa. Rebeldia e sabotagem nos trouxeram aqui”, diz Rodrigo Chamoun

Publicado

Presidente do Tribunal de Contas do ES reforçou a importância da consciência social para combater o aumento no número de casos da covid-19

Com mais de 90% dos leitos de UTIs ocupados e o aumento no número de casos da covid-19, todo o Estado entrou no chamado risco alto, que prevê medidas duras de distanciamento e isolamento pelos próximos 14 dias. A determinação foi anunciada na terça-feira (16) pelo governador Renato Casagrande. 

Em apoio ao governo, representantes do Ministério Público, Tribunal de Contas, Assembleia Legislativa, Defensoria Pública e de outros órgãos também participaram do anúncio sobre o fechamento total das atividades e serviços no Espírito Santo a partir desta quinta-feira (18). 

O governador reforçou que o resultado positivo, a partir das medidas adotadas, só será possível se a sociedade contribuir, não aglomerar e seguir as ações de distanciamento social. 

E foi justamente em relação ao comportamento da sociedade que o presidente do Tribunal de Contas do Espírito Santo, Rodrigo Chamoun, teceu críticas. Ele afirmou que o momento de aceleração dos casos e de pressão na rede de saúde é resultado de rebeldia e sabotagem contra as medidas de proteção individual. 

“Chegamos à ruína como sociedade, sabotamos o uso correto de uma levíssima máscara, sabotamos o uso correto do álcool, o distanciamento físico de 1 metro e meio. Onde houver pessoas aglomerando, há um ato criminoso de propagação do vírus. É uma soma de tragédias, impulsionadas pelo exemplo de poucas autoridades”, afirmou Chamoun.

O presidente do TCES se posicionou sobre a abertura de leitos de UTIs e afirmou que apenas a garantia de novas vagas não é suficiente para salvar vidas. “Como cidadão fico muito frustrado. Vejo o anúncio de aumento de leitos como um sinal. ir para a UTI não é uma estatística favorável. Uti não é spa”, disse.

Sobre a letalidade e o avanço da covid-19, Chamoun comparou o cenário com uma guerra, afirmando que o vírus é um inimigo que assombrou o mundo todo. Ele cobrou o comprometimento das pessoas no combate à doença: “As pessoas precisam assumir seu papel individual, usar máscaras, limpar as mãos, manter o distanciamento social até que todos estejam imunizados”.

Ocupação de leitos

No final da manhã desta quarta-feira (17), o painel de ocupação de leitos da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) mostrava que 88,87% dos leitos de UTI exclusivos para covid-19 estavam ocupados. A taxa de ocupação dos leitos de enfermaria está em 80,63%.

A situação mais crítica é a da Região Metropolitana, dos 515 leitos disponíveis, 465 estão ocupados, o que representa uma de 90,29% de ocupação. Em seguida vem a região Sul, com 89,52% dos leitos ocupados, a região Central vem em seguida, com 84,06% e no Norte, a taxa de ocupação é de 80,36%.

Leia mais:  Estado autoriza obras em Colatina, Conceição do Castelo, Pancas e São Mateus
publicidade

Política e Governo

Centenário da Academia Espírito-santense de Letras é comemorado no Palácio Anchieta

Publicado

A Academia Espírito-santense de Letras (AEL) comemorou seus cem anos de existência em solenidade no Palácio Anchieta, em Vitória, na noite dessa segunda-feira (20). O evento teve a participação do governador Renato Casagrande e da primeira-dama Maria Virgínia. A programação contou com a apresentação do Quinteto de Cordas da Orquestra Sinfônica do Espírito Santo (Oses), a entrega da Comenda Kosciuzko Barbosa Leão para doze acadêmicos, em reconhecimento aos seus méritos, além do lançamento de um selo comemorativo em alusão ao centenário da AEL.

Para o governador Casagrande, foi uma alegria receber os acadêmicos e todos os homenageados. “O selo ficou lindo, sendo uma justa homenagem à Academia. Não é sempre que se comemora 100 anos. Naquela época, existia uma efervescência, o mundo respirava arte e cultura e o Brasil começava a conhecer esse movimento. Cem anos depois, a gente debate os mesmos problemas de antes, com a ocorrência de governos totalitários. Agora, mais uma vez, o remédio está na educação. E novamente a cultura é um instrumento para fortalecer nossa democracia”, declarou.

A presidente da Academia Espírito-santense de Letras, Ester Abreu, afirmou que a entidade procura recuperar a memória, ou mesmo, aspectos dela, daqueles que formaram ou passaram pela Academia, com simplicidade memorística, buscando evidenciar o seu passado e o que de melhor tem a nos ensinar. “Com a literatura, o pensamento alcança a beleza. E por meio da palavra, a literatura atua desempenhando seu papel”, afirmou.

O secretário de Estado da Cultura, Fabricio Noronha, parabenizou a Academia pelo seu centenário, destacando o importante trabalho de décadas, na qual assistiu o País, a cultura e a literatura se transformarem. “Como é importante ter uma entidade centenária tão atuante e relevante nos dias de hoje. Essa celebração acontece na pandemia, em um momento que nos trouxe muitos e novos desafios. Recentemente o G20, em reuniões de ministros da cultura, publicou um documento sobre o papel central das políticas públicas de cultura no enfrentamento às desigualdades, na sustentabilidade e saúde mental da população e na educação. Aí entra o livro, a leitura e o trabalho de excelência que a Academia faz”, lembrou.

Na avaliação de Fabricio Noronha, a cultura e as atividades criativas são vetores de acolhimento, pertencimento e de fortalecimento dos nossos vínculos. Ele fez ainda um convite para que a Academia esteja junto com a Secult no lançamento da Midiateca Capixaba. “Em breve, lançaremos uma plataforma digital de acervo e de formação para pesquisadores e professores com acesso do público à diversidade cultural capixaba. Queremos que a história dos 100 anos da Academia Espírito-santense de Letras seja contada na nossa plataforma com fotos, documentos e entrevistas. Vida longa à Academia”, exclamou.

Comenda Kosciuzko Barbosa Leão

Leia mais:  Deputado Gandini debate o cronograma de execução das obras de duplicação da BR-101

Na ocasião, doze acadêmicos da Academia Espírito-santense de Letras receberam a Comenda Kosciuzko Barbosa Leão como forma de reconhecimento de seus méritos. A premiação foi criada em honra ao acadêmico-benfeitor em reconhecimento pela generosa doação de seu imóvel, que se tornou a sede da Academia. Kosciuzko Barbosa Leão foi professor, poeta e ensaísta. Ele foi o primeiro ocupante da Cadeira 36, patrono José Joaquim Pessanha Povoa.

 
A comenda se tornou a maior honraria desta confraria. Foram homenageados: Maria Bernadette Lyra; Adilson Vilaça de Freitas; Marcos Tavares; Fernando Antônio de Moraes Achiamé; José Carlos Mattedi; Pedro J. Nunes; José Roberto Santos Neves; João Gualberto Moreira Vasconcellos; Ítalo Campos; Magda Regina Lugon Arantes; Jorge Elias; e Rômulo Salles de Sá.

Continue lendo

Política e Governo

Sefaz apresenta resultado das metas fiscais aos deputados estaduais

Publicado

O secretário de Estado da Fazenda, Marcelo Altoé, participou da prestação de contas aos deputados estaduais que compõem a Comissão de Finanças, na Assembleia Legislativa do Estado do Espírito Santo (Ales). Durante o encontro, realizado na tarde desta segunda-feira (20), Altoé apresentou a situação fiscal do Estado, receitas, despesas, nível de endividamento, composição do Fundo Soberano, a Nota A do Espírito Santo nas contas públicas, entre outros pontos.  

O secretário esteve acompanhado do subsecretário de Estado do Tesouro Estadual, Bruno Pires; do subsecretário de Estado da Receita, Benicio Costa; além de auditores da Receita e consultores do Tesouro Estadual. 

“A prestação de contas é muito importante, porque é a nossa oportunidade de apresentar o trabalho da Secretaria da Fazenda aos deputados estaduais. É muito importante que eles conheçam o zelo com o qual trabalham auditores fiscais e consultores do Tesouro, pelo bem das finanças estaduais”, disse Marcelo Altoé. 

Mesmo com as receitas e as despesas apresentando números satisfatórios, o secretário de Estado da Fazenda destacou que ainda é preciso trabalhar com cautela, uma vez que a inflação, os efeitos da pandemia de novo Coronavírus (Covid-19) e as alterações propostas na Reforma Tributária podem impactar negativamente os cofres públicos. 

“Até sobre a Reforma Tributária, encaminhamos uma nota aos senadores capixabas mostrando como o texto aprovado na Câmara dos Deputados é negativo para o Espírito Santo. Se o texto for aprovado da forma que está, o Estado pode deixar de arrecadar mais de R$ 400 milhões até 2024″, lembrou Altoé. 

Os deputados parabenizaram os esforços da Sefaz para manter a organização das contas estaduais, sobretudo num momento em que grande parte dos estados sofre com a redução de receitas e dificuldades financeiras. O secretário Marcelo Altoé também agradeceu a participação de todos e se colocou à disposição para esclarecimentos sobre a situação fiscal do Espírito Santo. 

Leia mais:  Deputado Gandini debate o cronograma de execução das obras de duplicação da BR-101
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana