conecte-se conosco


Medicina e Saúde

Vacina e Confia ES: Governo lança nova plataforma voltada à imunização contra a Covid-19

Publicado

Inovação e tecnologia voltadas às melhorias do Sistema Único de Saúde capixaba. É com esse objetivo que o Governo do Estado lançou, nesta quinta-feira (08), o Vacina e Confia Espírito Santo, plataforma digital destinada aos processos de imunização e ao agendamento de vacinas contra o novo Coronavírus (Covid-19). Em solenidade no Palácio Anchieta, em Vitória, o governador Renato Casagrande apresentou à sociedade essa nova plataforma.

A plataforma Vacina e Confia ES integra sistemas de informação do SUS voltados à imunização e à gestão das vacinas contra a Covid-19, instituído pela Resolução da Comissão Intergestores Bipartite (CIB) de nº 115, de 08 de julho de 2021. Os gestores municipais e estaduais terão acesso aos processos que vão desde o agendamento (facultativo), passando pelo controle de registro da dose recebida, estoque, distribuição e aplicação dos imunizantes incorporados ao Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 do Ministério da Saúde.


“Estamos dando mais um passo para dar transparência total na gestão da pandemia e na publicação dos dados. Fizemos isso com a aplicação dos recursos no site Coronavírus e também com os dados da pandemia no Painel Covid-19, que são referência nacional na qualidade de dados. O ‘Vacina e Confia’ é mais um instrumento que vai permitir esse acompanhamento. A parceria com os municípios é muito importante. O que queremos é vacinar! Não queremos que nenhuma vacina durma na geladeira, caso ela já possa estar no braço de alguém. Isso demonstra de forma clara a nossa preocupação com a vida”, afirmou o governador Casagrande. 

O projeto é desenvolvido em parceria da Secretaria da Saúde (Sesa), por meio da Subsecretaria de Vigilância em Saúde e a Gerência de Tecnologia da Informação, junto ao Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest) e ao Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

A plataforma poderá ser acessada no link: www.vacinaeconfia.es.gov.br.


O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, ressaltou que a plataforma permitirá maior transparência aos dados de vacinação no Espírito Santo, na qual o cidadão poderá acompanhar o real desempenho dos municípios, realizar seu agendamento, entre outros benefícios. 

“Essa plataforma foi utilizada no Projeto Viana Vacinada, sendo aperfeiçoada para utilização dos 78 municípios capixabas a partir da próxima terça-feira (13). Além disso, todos que estiverem com a segunda dose atrasada, receberão um SMS toda segunda-feira à tarde, informando o atraso e a necessidade de completar o esquema vacinal. Temos como objetivo apresentar o real desempenho à população”, disse.

Em sua fala, a secretária de Saúde de Vila Velha, Cátia Lisboa, que também preside o Colegiado de Secretarias Municipais de Saúde do Espírito Santo (Cosems/ES), agradeceu pela iniciativa do Estado. “Parabenizo ao Governo do Estado pela condução da campanha de vacinação no Estado. É uma honra trabalhar com vocês”, destacou.

O representante do LAIS, Fernando Lucas, enfatizou a importância da parceria com o Governo do Espírito Santo e explicou como o sistema irá beneficiar a gestão do município e o cidadão capixaba. Ele também destacou que essa tecnologia ficará como mais um legado para população oriundo do enfrentamento à pandemia.

“Estamos felizes em poder compartilhar com vocês uma plataforma de tanto sucesso no Rio Grande do Norte. O grande diferencial dessa ferramenta é o fortalecimento da transparência. Ajustamos ela de acordo com as necessidades do Espírito Santo. O cidadão terá acesso aos seus agendamentos e comprovação de vacinação. Esse sistema não será utilizado apenas para o enfrentamento da pandemia da Covid-19, mas também para outras campanhas de vacinação”, pontuou.

Também estiveram presentes o subsecretário de Estado de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin; o diretor do Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação (ICEPi), Fabiano Ribeiro; a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Danielle Grillo; e o secretário municipal de Saúde de São Mateus, Henrique Follador.

Plataforma de agendamento de vacinas contra a Covid-19

Leia mais:  ES é o terceiro Estado do país que mais vacinou contra covid-19

Uma das novidades disponíveis na plataforma Vacina e Confia ES é o portal de agendamento destinado à Campanha de Vacinação contra a Covid-19. O objetivo é proporcionar aos municípios que não têm o sistema de agendamento on-line uma ferramenta simplificada e de fácil acesso para a operacionalização da Campanha. O sistema ficará disponível para a adesão a qualquer tempo.

A população em geral também poderá acessar o portal. Ao clicar na opção “Cidadão”, poderá realizar o cadastro com dados pessoais, escolha do público da campanha de vacinação, e em seguida a busca pelo local de vacinação mais próximo de sua residência, tanto para primeira quanto para segunda dose.

Dentro da plataforma, os municípios terão autonomia para definir quaisquer estratégias, assim como a opção de abrir agendamento apenas para seus munícipes ou população geral.

O sistema impede a escolha do imunizante para a primeira dose – o fabricante só é disponível para as segundas doses. Além disso, não há possibilidade de escolha de doses de fabricantes diferentes e uma terceira dose.

Dados completos e comunicação com cidadão

Leia mais:  Governo antecipa vacinação de idosos acima de 90 anos no Espírito Santo

Com processo simplificado e intuitivo para o cadastro do cidadão na plataforma de agendamento, é importante que o cidadão faça o preenchimento completo com dados no momento do cadastro.

Destaca-se a disponibilidade do endereço de e-mail e de um número de telefone móvel, uma vez que será por meio dessas informações que a comunicação com cidadão será feita.

Avisos para segunda dose, avisos de dose em atraso, entre outras informações, serão encaminhadas com objetivo de fortalecer o processo de transparência. Além disso, ressalta-se também a complementação dos dados auxiliando de forma mais rápida o dia do agendamento, durante a ida ao serviço de saúde, já estando disponível ao vacinador os dados previamente preenchidos.

Sistema de Informação

Vacina e Confia é, para além de um Portal de agendamento, o novo Sistema de Informação Estadual voltada à imunização e à gestão das vacinas contra a Covid-19 no Espírito Santo. No âmbito estadual, o sistema será a fonte de dados oficial de todo processo de imunização que envolve a Campanha de Vacinação contra a Covid-19, proporcionando a ampliação da governança, com informações disponíveis em tempo real à gestão de saúde.

A plataforma integra, além do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização, os sistemas do Cartão Nacional de Saúde, o Cadastro Nacional de Saúde, a Rede Nacional de Dados em Saúde e o Sistema de Insumos Estratégicos em Saúde, realizando o envio das informações diariamente ao Ministério da Saúde. Assim, o Espírito Santo garantirá a comunicação de todos os sistemas voltados ao caminho da vacina desde a sua chegada à Vigilância Estadual até a Atenção Primária em Saúde, com as doses disponíveis nas salas de vacinação.

Capacitação com os municípios

Para a aplicação do sistema foi realizada a capacitação com multiplicadores dos 78 municípios do Espírito Santo, com acesso ao ambiente de treinamento e suporte on-line. O curso foi realizado na metodologia da Educação a Distância (EaD), com material didático e vídeos tutoriais, e está disponível no link: http://ead.saude.es.gov.br.

Clique aqui e confira o arquivo de apresentação do Vacina e Confia

publicidade

Medicina e Saúde

Brasil ultrapassa marca de 130 milhões de vacinas Covid-19 aplicadas

Publicado

Campanha de vacinação avança rapidamente, mais de 58% do público-alvo já tomou a primeira dose

O Brasil atingiu a marca de mais de 130 milhões de doses de vacinas Covid-19 aplicadas nesta sexta-feira (23). São mais de 93 milhões de pessoas que já receberam a primeira dose do imunizante. Isso significa que 58% da população-alvo, de mais de 160 milhões de brasileiros maiores de 18 anos, já completou esta etapa da vacinação.

O ritmo acelerado da campanha reflete na situação epidemiológica da pandemia no país: só na última semana, de acordo com o último boletim epidemiológico, o Brasil registrou redução de 14% nas mortes em relação à semana anterior. A média móvel de óbitos registrada na terça-feira (22) – 1,2 mil – é a menor dos últimos quatro meses.

Mais de 600 milhões de doses estão contratadas pelo Ministério da Saúde até o fim de 2021, após acordos com diferentes laboratórios. Somente em agosto, está prevista a chegada de mais de 63 milhões de doses.

Até o momento, mais de 164 milhões de doses foram distribuídas a todos os estados e o Distrito Federal. A imunização no Brasil pode ser acompanhada pela plataforma LocalizaSUS.

Leia mais:  Municípios receberão R$ 401 milhões para cadastrar brasileiros no SUS
Continue lendo

Medicina e Saúde

Estudo: Pfizer é mais eficaz contra Delta com intervalo de 8 semanas

Publicado

Bula indica 21 dias entre doses, Brasil e outros países usam 12 semanas de distanciamento; Reino Unido vai mudar para 2 meses

Um intervalo de oito semana entre a primeira e segunda duas doses da vacina da Pfizer contra a covid-19 proporciona um nível maior de anticorpos do que um intervalo mais curto, concluiu um estudo britânico, embora haja uma queda brusca nos níveis de anticorpos após a primeira dose. 

O estudo pode ajudar a traçar estratégias de vacinação contra a variante Delta, que reduz a eficácia de uma primeira dose da vacina contra a covid-19, ainda que duas doses sejam eficientes na proteção. 

“Para o intervalo mais longo de doses, os níveis de anticorpos neutralizantes contra a variante Delta foram induzidos de maneira fraca após uma única dose, e não se mantiveram durante o intervalo até a segunda dose”, apontaram os autores do estudo, que está sendo conduzido pela Universidade de Oxford. 

“Após duas doses da vacina, os níveis de anticorpos neutralizantes eram duas vezes maiores após o intervalo mais longo de doses se comparado com o intervalo mais curto.”

Os anticorpos neutralizantes são considerados importantes no papel de construir imunidade contra o coronavírus, mas não agem sozinhos, já que as células T também desempenham um papel. 

O estudo descobriu que os níveis gerais de células T eram 1,6 vez menor com um intervalo longo se comparados com o cronograma mais curto de entre 3 a 4 semanas, mas que uma proporção mais alta era de células T “ajudantes”, que fortalecem a memória imunológica.

Os autores enfatizaram que qualquer um dos intervalos produziu uma resposta forte de anticorpos e de células T no estudo feito com 503 profissionais de saúde. 

A bula do imunizante sugere que o intervalo entre as aplicações seja de 21 dias, mas Brasil, Reino Unido, Canadá, França e Alemanha optaram por ampliar esse período para 12 semanas. 

As descobertas, divulgadas em um estudo pre-print, suportam a visão de que embora uma segunda dose seja necessária para garantir a proteção total contra a variante Delta, o distanciamento de oito semana pode providenciar imunidade mais duradoura, mesmo se isso significar uma proteção menor a curto prazo. 

O Reino Unido a partir desta sexta-feira (23) recomenda um intervalo de dois meses entre as duas doses da vacina para que mais pessoas fiquem protegidas contra a variante Delta mais rapidamente, enquanto ainda maximiza as respostas imunológicas no longo prazo.

“A recomendação original de 12 semanas se baseava no conhecimento de outras vacinas, que frequentemente um intervalo mais longo dá ao sistema imunológico a chance de dar a resposta mais alta. A decisão de colocá-lo em oito semanas equilibra todas as questões mais amplas, os prós e os contras, duas doses é melhor do que uma no geral. Além disso, outros fatores precisam ser equilibrados, o suprimento de vacinas, o desejo de se abrir e assim por diante. Acho que oito semanas é o ponto ideal para mim, porque as pessoas querem receber as duas vacinas [doses] e há muito Delta por aí agora. Infelizmente, não consigo ver esse vírus desaparecendo, então você quer equilibrar isso com a obtenção da melhor proteção possível”, disse Susanna Dunachie, pesquisadora da Universidade de Oxfor e coordenadora do estudo.

Leia mais:  Cerca de 1 milhão de pessoas contraíram infecções sexualmente transmissíveis no Brasil em 2019
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana