conecte-se conosco


Internacional

Varíola do macaco cresce rápido no Reino Unido e serviço de saúde pede abstinência sexual a suspeitos

Publicado

Mesmo sem comprovação de que a doença é sexualmente transmissível, autoridade britânica pediu restrição às pessoas com novas manchas ou erupções na pele

O número de casos confirmados de varíola do macaco cresce exponencialmente no Reino Unido e preocupa a Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido (UKHSA — sigla em inglês).

Só na última segunda-feira (30) foram registrados 71 novos doentes, elevando para 179 o número de infectados. Destes, 172 estão na Inglaterra; quatro, na Escócia; dois, na Irlanda do Norte e um, no País de Gales.

Mesmo sem evidências científicas de que a enfermidade seja transmitida sexualmente, ou seja, pelo sêmen, a UKHSA pediu que qualquer pessoa que tenha alguma nova mancha ou erupção na pele se abstenha sexualmente enquanto tiver o sintoma. Principalmente se essa pessoa teve algum novo parceiro no último mês.

No caso de confirmação da infecção, as autoridades pedem que a pessoa se isole por 21 dias e que pelo menos até dois meses após o fim da doença só tenha relações sexuais com o uso de preservativos.

Leia mais:  Mulher morre esmagada ao tentar levantar 180 kg na academia e vídeo impressiona

“Estamos lembrando às pessoas que procurem novas manchas, úlceras ou bolhas em qualquer parte do corpo. Se alguém suspeitar que pode tê-los, principalmente se tiver tido recentemente um novo parceiro sexual, deve limitar seu contato com outras pessoas e entrar em contato com o NHS 111 ou o serviço de saúde sexual local o mais rápido possível, mas telefone antes de comparecer pessoalmente. Isso nos ajudará a limitar a transmissão do vírus”, afirmou Ruth Milton, consultora médica da UKHSA.

Segunda a agência, o traço em comum nos pacientes é que são homens que se declaram homossexuais, bissexuais ou que fazem sexo com outros homens. Porém, a abstinência é sugerida para todas as pessoas, independentemente de gênero ou orientação sexual.

Até então, a varíola do macaco era considerada uma doença com transmissão rara que ocorria por contato próximo entre as pessoas.

Devido às características deste surto, os cientistas investigam o que pode explicar o aumento incomum de casos, enquanto as autoridades de saúde pública dos Estados Unidos e dos países da Europa suspeitam que haja algum grau de transmissão comunitária.

Leia mais:  Mulher passa mal por meses e descobre ter camisinha no pulmão; entenda

A OMS (Organização Mundial de Saúde) ressalta que é importante que o surto seja controlado agora para que seja evitada a infecção de crianças e pessoas com problemas no sistema imune que têm risco maior de morte.

publicidade

Internacional

Suspeito de cometer ataque na região de Chicago estava vestido com ‘roupas femininas’, diz polícia

Publicado

Robert E. Crimo 3º disparou ao menos 70 vezes com arma comprada legalmente; atentado deixou sete mortos e 46 feridos

suspeito de cometer o ataque a tiros durante o desfile de 4 de Julho, em Highland Park, na região de Chicago, estava vestido com roupas femininas para conseguir se disfarçar durante a fuga, afirmou a polícia local nesta terça-feira (5).

Segundo o porta-voz da força tarefa de crimes do condado de Lake, Christopher Covelli, Robert E. Crimo 3º, de 22 anos, tentou se disfarçar ao máximo para não ser identificado. O suspeito possui grandes tatuagens no pescoço, além de traços próximos ao olho esquerdo.

Segundo a prefeita da cidade, Nancy Rotering, Robert comprou a arma do crime legalmente. Os 70 disparos feitos pelo suspeito deixaram sete pessoas mortas e outras 46 feridas no atentado.

Robert teria atirado de um telhado, enquanto o público que assistia o desfile de celebração à independência dos EUA estava reunido na rua. O suspeito ficou foragido por volta de dez horas até ser encontrado por autoridades em uma estrada na região de Chicago.

Leia mais:  Bebê de três meses tem de overdose após amamentada pela mãe

Suspeito teria usado escada para subir em telhado e atirar no público que assistia o desfile

No carro de Robert, foi encontrado outro rifle, além de mais armas em sua casa. Covelli afirmou em entrevista coletiva que o suspeito estava planejando este ataque há algumas semanas.

Nas próximas horas, as autoridades dos Estados Unidos devem anunciar as acusações contra o atirador. A polícia do país ainda não determinou qual foi a motivação para o massacre durante o desfile de Highland Park.

Continue lendo

Internacional

Caça escolta avião de passageiros após ameaça de bomba

Publicado

Vídeo mostra F-18 sinalizando para jato comercial segui-lo. Incidente foi causado por trote de um adolescente britânico que estava a bordo. Jovem foi preso pela polícia espanhola

Um voo da easyJet indo de Londres para a ilha de Menorca, na Espanha, neste domingo (3), foi escoltado ao seu destino por um caça espanhol depois que um adolescente britânico a bordo fez uma ameaça de bomba nas redes sociais, informou a polícia nesta segunda-feira (4).

O jovem, de 18 anos, que viajava com cinco amigos, passou a noite na prisão e aguarda uma audiência no tribunal, disse um porta-voz da Guarda Civil da Espanha.

As imagens do incidente mostraram um jato F-18 voando perto das pontas das asas laranja da aeronave A-319 da companhia aérea comercial, que normalmente transporta entre 120 e 150 passageiros.

O caça é visto balançando as asas, um gesto conhecido na aviação como sinal de que o outro piloto deve segui-lo, enquanto passageiros, preocupados, podem ser ouvidos discutindo o que está acontecendo e uma mulher pergunta: “Por que ele está fazendo isso?”.

Leia mais:  EUA se tornam o país com maior número de mortes por covid-19

Aviões militares geralmente interceptam uma aeronave civil quando o controle de tráfego aéreo terrestre perde contato com ela ou há uma ameaça percebida à aeronave ou aos passageiros devido a um aviso de bomba, objeto suspeito ou atividade terrorista temida.

Reportagem da Reuters informa que o voo EZY8303 da easyJet, que saiu do aeroporto de Londres Gatwick às 13h, pousou em segurança no aeroporto de Menorca, nas Ilhas Baleares, com meia hora de atraso, pouco antes das 17h, e foi escoltado para uma área de segurança.

Lá, o adolescente foi preso e, durante um período de duas horas, os passageiros foram desembarcados um a um e solicitados a identificar suas bagagens para verificação por cães farejadores e especialistas em desmonte de bombas, segundo a Guarda Civil.

Outros voos de Menorca foram interrompidos pelo incidente.

Um porta-voz da companhia confirmou que o voo foi escoltado por uma aeronave militar e houve um atraso no desembarque devido a verificações de segurança preventivas, mas não deu detalhes sobre a causa.

Leia mais:  Olavo de Carvalho morre, aos 74 anos, nos Estados Unidos

“A segurança de seus passageiros e tripulantes é sempre a maior prioridade da easyJet e gostaríamos de agradecer aos passageiros pela compreensão”, disse ele.

A reportagem não fornece detalhes da ameaça feita pelo adolescente.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana