conecte-se conosco


Brasil

Verão: Infectologista alerta sobre risco de transmissão de covid-19 nas praias

Publicado

A pesquisadora e professora Ethel Maciel recomenda evitar aglomerações no litoral e não dispensar o uso da máscara mesmo estando ao ar livre e à beira-mar

Com a chegada do verão e das altas temperaturas, beirando uma média de 35°C nesse início de janeiro, a praia é uma das opções preferidas para muita gente. Mas com a pandemia do coronavírus, as medidas de distanciamento social e de higiene devem ser levadas em conta, mesmo à beira-mar. As cenas de praias lotadas levam a uma preocupação a mais já que o país registra aumento recorde no número de casos e de mortes por covid-19, ultrapassando, recentemente, a marca de 200 mil mortos. 

A epidemiologista, pesquisadora e professora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), Ethel Maciel, alertou para o risco de transmissão de covid-19 mesmo nas praias. “As pessoas estão no modo de férias e, por isso, tendem a relaxar com os cuidados. Mas a pandemia não acabou. Mesmo o local aberto, ao ar livre, à beira-mar, também traz os seus riscos para transmissão do coronavírus”, ressalta.

Assim, os mesmos cuidados em locais fechados, como bares e restaurantes, devem ser observados quando o programa for passar algumas horas na areia para um mergulho no mar. Ela reforça que a praia não deve ser encarada como local de aglomeração, mas de lazer. Neste conceito, o mais seguro é que as famílias se mantenham à distância uma das outras na faixa de areia, sem interação com os demais. “O ideal é que você permaneça com a máscara e continue fazendo um distanciamento físico daquelas pessoas que não fazem parte do seu núcleo familiar”, explica.

Dessa forma, cadeiras de praia e guarda-sóis devem manter uma distância de dois metros. A orientação também vale para quem entrar no mar. “Mesmo quando você se dirigir para a água, vale a mesma regra para a terra: é preciso manter o distanciamento físico, de um metro e meio pelo menos”, aconselha.

Na análise da pesquisadora, o indicado é que os banhistas prefiram ir a pontos do litoral que não sejam concorridos ou procurados por multidões. Se a praia estiver muito lotada, será mais difícil cumprir a prática do distanciamento. 

Comida na areia

A infectologista recomenda que o ideal, dentro das regras de segurança sanitária, é levar aquilo que se vai consumir de comida e bebida. Assim, evita-se tocar ou manipular produtos que não se tenha a certeza de terem sido higienizados. “Toda vez que você entra em contato com algum objeto que alguém tocou antes, você pode aumentar o seu risco”, reforça.

Segunda onda

Para Ethel Maciel, o Brasil pode registrar elevação do número de casos e de óbitos por coronavírus nas próximas semanas, devido às aglomerações e relaxamento dos cuidados, durante as festas de fim de ano e nos finais de semana ensolarados de verão, com as praias como destino de multidões. No verão dos Estados Unidos, os casos de infecção por coronavírus aumentaram em cinco vezes depois da reabertura das praias na região de Miami e em Orlando.

“Assim como lá nos Estados Unidos, o risco é que a maior parte de quem se aglomera nas praias, ignorando as normas de segurança, é formada principalmente por jovens adultos, uma faixa etária de população que naturalmente circula muito e que pode levar o vírus para suas casas ou ambiente de trabalho”, reforça. 

Até o momento, tanto o Governo do Estado quanto os 14 municípios litorâneos não irão restringir acesso às praias. Entre essas cidades que contam com litoral, no mapa estadual de risco para covid-19, válido entre 11 e 17 de janeiro, São Mateus é a única em risco alto. Já Itapemirim é a única em risco baixo. Todas as demais seguem em risco moderado. 

Prevenção ao coronavírus nas praias

– O risco de contaminação é mais baixo quando visitantes da praia ficam a pelo menos 2 metros de distância dentro e fora da água de pessoas com quem não vivem.

– Interaja apenas com pessoas de seu grupo familiar.

– Não compartilhe alimentos, bebidas, equipamentos (como guarda-sol, cadeiras de praia), brinquedos com pessoas com quem não convivem

– Sempre use máscara ao estiver na areia ou caminhando no calçadão.

– Fique atento à higienização de produtos que for consumir na praia. O ideal é levar de casa. 

Leia mais:  Homem invade estúdios da Globo e faz repórter de refém
publicidade

Brasil

Polícia Rodoviária abre concurso com 1.500 vagas; inscrição começa no dia 25

Publicado

A Polícia Rodoviária Federal divulgou edital de um novo concurso público com 1,5 mil vagas para o cargo de policial rodoviário. As inscrições começam na próxima segunda-feira (25) e vão até 12 de fevereiro pelo site do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos. A taxa é de R$ 180.  

Para concorrer, é preciso ter graduação completa em qualquer área, além de carteira nacional de habilitação na categoria B ou superior. Candidatos de ambos os sexos podem se inscrever, mas é preciso ter entre 18 e 65 anos na data de matrícula do curso de formação.  

Provas  

Os classificados nas provas objetivas e discursivas — que serão realizadas no dia 28 de março — deverão realizar teste de aptidão física, avaliação psicológica, além de apresentar documentos e ainda passar por uma avaliação de saúde e uma investigação social. Todas essas fases são de caráter eliminatório e vão ocorrer em todas as capitais e no Distrito Federal.  

Os candidatos ainda terão de passar por uma avaliação de títulos, de caráter classificatório, e pelo curso de Formação Policial, que será realizado na Universidade Corporativa da Polícia Rodoviária Federal, em Florianópolis, ou em outros locais indicados pela PRF.  

Remuneração  

O salário dos aprovados será de R$ 9.899,88. Além disso, os policiais rodoviários recebem auxílio alimentação de R$ 458.  

Vagas  

As 1,5 mil vagas serão distribuídas da seguinte forma: 1.175 para ampla concorrência; 300 para negros e 75 para pessoas com deficiência. Por ser de abrangência nacional, os candidatos que passarem na seleção serão lotados de acordo com a necessidade do serviço e o interesse público. 

Leia mais:  Governo Federal enviará SMS com orientações sobre o novo coronavírus
Continue lendo

Brasil

MEC divulga resultado da primeira chamada do ProUni 2021

Publicado

Estudantes que concorrem a bolsas integrais de estudos devem comprovar renda familiar bruta mensal de até 1,5 salário mínimo (R$ 1.650) por pessoa

O Ministério da Educação (MEC) divulgou a lista de candidatos aprovados na primeira chamada do Programa Universidade para Todos (ProUni) 2021 nesta terça-feira, 19. A relação dos selecionados está disponível no site do programa. Os estudantes têm entre esta terça-feira, 19, e 27 de janeiro para comprovar as informações fornecidas durante a inscrição. O resultado da segunda chamada estará disponível no dia 1º de fevereiro.

Nesta edição, o ProUni oferece mais de 162 mil bolsas em universidades particulares. O programa abrange 13.117 cursos em 1.031 instituições de ensino distribuídas em todos os Estados e no Distrito Federal. No modelo de Educação a Distância (EaD), são 52.839 bolsas disponíveis.

Critérios para bolsa de estudos

Estudantes que concorrem a bolsas integrais de estudos devem comprovar renda familiar bruta mensal de até 1,5 salário mínimo (R$ 1.650) por pessoa. Para a bolsa parcial, a renda familiar bruta mensal deve ser, por pessoa, de até três salários mínimos (R$ 3.300).

Os candidatos precisam ter cursado todo o ensino médio de forma gratuita, seja em uma escola pública ou em uma escola particular como bolsista integral. Estudantes que já tenham um diploma de graduação não têm direito às bolsas. A exceção é para professores da rede pública de ensino, que podem disputar a bolsa de estudos. Nesse caso, o limite de renda não se aplica como aos demais candidatos.

É exigido que o candidato tenha realizado a edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019. A média das notas deve alcançar, no mínimo, 450 pontos e a Redação não pode ter sido zerada.

Segunda chamada e lista de espera

O resultado da segunda chamada do ProUni estará disponível no dia 1º de fevereiro. Os estudantes deverão comprovar as informações à universidade entre os dias 1º e 9 de fevereiro. Os candidatos que não forem convocados nas duas primeiras chamadas devem manifestar interesse em participar da lista de espera entre os dias 18 e 19 de fevereiro. A divulgação da lista de espera será em 22 de fevereiro.

Leia mais:  Governo Federal enviará SMS com orientações sobre o novo coronavírus
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana