conecte-se conosco


Mundo Cristão

“Vi a morte, mas Deus me curou”, diz pastor curado do coronavírus

Publicado

O ano de 2020 parecia ser apenas mais um, como todos os outros anos. Todos levavam suas vidas sem imaginar que iriam enfrentar a pandemia do novo coronavírus e até mesmo lutar contra a doença, como o pastor Evandro Felipe da Silva, de 61 anos.

O pastor contou toda a sua experiência durante o período que esteve internado para se tratar dos sintomas da Covid-19.

Ele disse que começou com os sintomas de tosse, secreção, cansaço e falta de ar, e por ser do grupo de risco suspeitou do coronavírus e foi junto com sua filha ao pronto atendimento de Cobilândia, onde fez o teste que terminou confirmando o contágio.

“Eu nasci de novo para contar meu testemunho. O espírito santo me curou!”, comemorou o pastor, segundo informações da Tribuna Online.

Ele passou 27 dias internado e relata o quão difícil foi durante esse período, pois chegou a presenciar pessoas morrerem com o vírus. O pastor também chegou a ser entubado por causa do quadro que apresentava.

Depois que apresentou melhora, Evandro Felipe da Silva foi transferido para o Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra, onde passou mais 9 dias em observação. Ele diz que a fé foi o fator predominante da sua cura.

“Passei os piores dias da minha vida, mas, graças a Deus, eu tive uma melhora e recebi alta na tarde de ontem (segunda-feira)”, destacou o líder religioso.

O pastor também explicou que tomou todas as medidas de precaução e prevenção contra o coronavírus, e acha que contraiu o vírus durante suas saídas para os serviços essenciais, como ir ai mercado por exemplo.

“Para mim, essa doença é bíblica. Nunca duvidei dela e, por isso, estava evitando sair de casa”, relatou. “Vi a morte, mas Deus me curou”, completou Evandro, certo de que Deus o livrou da morte por meio da Sua misericórdia.

“Eu sou a Verdade e a Vida. Quem crê em mim, jamais morrerá”. Acho que essa frase bíblica já diz tudo. Tenham fé. Para quem não passou por isso, peço que se cuide, pois essa doença é avassaladora,” conclui.

Leia mais:  “Os prazeres de comer e do sexo vêm de Deus”, diz papa Francisco
publicidade

Mundo Cristão

Irmão Lázaro é intubado após complicações da Covid-19

Publicado

O cantor e vereador de Salvador, Irmão Lázaro, foi intubado na manhã desta quinta-feira (25) devido a complicações da Covid-19. Ele foi para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital de Feira de Santana e aguarda transferência para o Hospital Aliança, em Salvador.

Segundo informações da assessoria do parlamentar, Irmão Lázaro começou a apresentar os sintomas da Covid-19 há 10 dias, mas teve o resultado positivo apenas no fim de semana.

Ele foi internado no leito clínico do hospital na segunda-feira (22), mas nesta quinta apresentou piora no quadro de saúde, precisando ser intubado.

“Diante do exposto, sua família e amigos reforçam o pedido de orações, enquanto crê e espera que, com a permissão de Deus, sua saúde será restaurada. Agradecemos, por fim, todo o apoio, preces e carinho recebidos até aqui”, diz a nota da assessoria que pode ser lida abaixo na íntegra.

Nota de Esclarecimento
Quadro Clínico Irmão Lázaro

Queremos por meio desta nota informar aos amigos e admiradores que Irmão Lázaro foi transferido para UTI na manhã desta quinta-feira (25) precisando ser entubado no final da manhã, devido a complicações causadas pela Covid.
Diante do exposto, sua família e amigos reforça o pedido de orações, enquanto crê e espera que, com a permissão de Deus, sua saúde será restaurada.
Agradecemos, por fim, todo o apoio, preces e carinho recebidos até aqui.

“O que Deus tem pra ti é bem maior”

O cantor, de 54 anos, iniciou sua carreira na música aos 18 anos de idade, com uma passagem expressiva no Olodum. Após enfrentar problemas com drogas, Lázaro se converteu ao cristianismo e passou a compor e cantar música gospel.

Depois de ingressar na carreira política, Lázaro passou pela Câmara dos Deputados, em 2014, e passou a integrar a Frente Parlamentar Evangélica. Ele foi eleito vereador de Salvador nas eleições de 15 de novembro de 2020.

Leia mais:  Evangélicos confiam em líderes religiosos e policiais, mas são céticos em relação a jornalistas
Continue lendo

Mundo Cristão

Mulher vai ao lugar onde o seu marido foi morto e entrega Bíblia aos assassinos

Publicado

Até onde você iria para evangelizar uma pessoa? A resposta pode ser fácil dependendo da região e das pessoas envolvidas. Mas, e quando o objetivo é alcançar os assassinos que mataram o seu próprio cônjuge?

Este foi o desafio que uma mulher chamada Kelly Saenz decidiu encarar. Ela foi casada com o missionário Pabel Saenz. Ambos viviam na Colômbia, um país que vem apresentando índices de perseguição religiosa cada vez mais altos nos últimos anos.

A intolerância religiosa na Colômbia ocorre principalmente por causa dos carteis de droga, em primeiro lugar, e também por questões étnicas. No caso dos cartéis, os criminosos não gostam do evangelismo, pois isso retira pessoas do mundo do crime, enfraquecendo as organizações.

Também há a intolerância por motivos étnicos nas zonas interioranas do país, onde as tradições religiosas e indígenas são muito fortes. “A média de pressão aos cristãos na Colômbia permanece em um nível alto, aumentando de 9 pontos no ano anterior para 9,4. Isso é principalmente devido à pressão de criminosos e grupos étnicos”, diz a Portas Abertas.

Na lista anual de perseguição religiosa da Portas Abertas em 2020, a Colômbia aparece na 41ª posição em uma lista de 50 nações. “Todas as esferas da vida marcaram acima dos 7,8 pontos dentro do limite de 16,7 pontos e essa pressão é alta em todos os níveis. A pressão é mais alta na comunidade, com 11,9 pontos”, diz a entidade.

Morte do missionário

No caso de Pabel, a sua morte ocorreu em novembro de 2014, quando ele estava trabalhando como moto-taxi e acabou indo parar em uma região perigosa.

“Eles supostamente o mataram porque queriam roubar sua moto. Eles me deram a moto, as chaves e dois capacetes”, disse Kelly ao 100 Huntley Street, um programa de rádio canadense.

O corpo de Pabel desapareceu. Apenas após três dias de buscas a sua esposa ficou sabendo que ele realmente estava morto, depois que recebeu uma ligação da Guarda Indígena local.

Anos depois, Kelly decidiu voltar ao mesmo local onde Pabel foi assassinado. Chegando lá, ela encontrou os moradores nativos e também o chefe da aldeia, quando ficou sabendo que os sobrinhos dele confessaram ter matado o missionário.

Apesar do choque, Kelly não se intimidou e disse que ouviu dentro de si uma voz. “Este é o momento em que preciso ver o seu testemunho sobre mim. O fruto de tudo que você e seu marido tem feito nos últimos anos”, dizia a voz.

Foi isso o que deu coragem a ela para se posicionar em um ambiente tão hostil. “Eu sempre estive na casa de Deus, Ele sempre esteve comigo. Mas quando esses homens estavam na minha frente, eu disse diretamente a eles: Vocês não conhecem o nosso Senhor”, disse ela.

No fim das contas, a mulher do missionário morto naquele mesmo lugar, conseguiu testemunhar o perdão e amor de Deus aos assassinos do seu marido. “Demos Bíblias aos membros da aldeia indígena e também enviamos Bíblias aos dois rapazes que assassinaram Pabel”, disse ela, segundo o Guiame.

Leia mais:  Ateia com pensamentos suicidas recorre à Bíblia e tem encontro com Jesus
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana