conecte-se conosco


Política e Governo

Vídeo marca o 13° Lançamento da Colheita do Café no Espírito Santo

Publicado

Um vídeo lançado nesta quinta-feira (14) marcou o 13° Lançamento da Colheita de Café do Espírito Santo. A iniciativa do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e da Secretaria da Agricultura, Abastecimento Aquicultura e Pesca (Seag) celebrou a data oficial do início da colheita de café no Estado.

Por lei, o dia 14 de maio é a data oficial do início da colheita de café conilon. A data foi estabelecida com o objetivo de estimular o produtor a colher o café no momento mais adequado, quando cerca de 80% dos frutos estão maduros, o que eleva o rendimento e garante mais qualidade aos grãos.

O lançamento da colheita é um marco importante para a cafeicultura capixaba. O evento sempre atraiu centenas de produtores envolvidos na cadeia produtiva do café, mas este ano foi realizado de uma maneira diferente: por meio de um vídeo gravado na Fazenda Experimental do Incaper de Marilândia, que será exibido nas redes sociais da Seag e do Incaper.

Desta forma, todos os capixabas foram contemplados com informações a respeito da cafeicultura capixaba, conhecendo a importância desta que é a principal atividade agrícola do Espírito Santo e fazendo parte dos resultados que o café traz para o Estado.

O governador Renato Casagrande destacou a importância econômica da cafeicultura para o Estado e ressaltou os cuidados que devem ser tomados, especialmente neste momento de pandemia. Além disso, Casagrande anunciou a realização de um concurso estadual de café de qualidade.

“O Espírito Santo é o segundo produtor de café do Brasil e primeiro produtor de conilon. Este ano nossa expectativa é grande, apesar da pandemia que está preocupando a população mundial. Foi por isso que foi elaborada uma cartilha, com orientação aos produtores para evitar contágio neste momento de colheita. É preciso continuar trabalhando e incentivando a atividade. Por isso, vamos lançar um prêmio de cafés especiais e sustentáveis para estimular os produtores e premiar os cafés de excelente qualidade”, afirmou. 

cartilha foi lançada recentemente e traz recomendações de prevenção e estratégias para evitar a contaminação e transmissão do novo Coronavírus (Covid-19), durante a colheita do café deste ano. O objetivo do documento é preservar a vida dos trabalhadores e das famílias rurais do Estado.

“A cartilha é o resultado de um trabalho em conjunto com vários parceiros que atuam no setor cafeeiro do Espírito Santo. O documento fornece orientações gerais aos produtores de café, tais como medidas de prevenção do contágio do Coronavírus, adoção de boas práticas nos refeitórios, transporte, além de recomendações específicas para o início da colheita. É importante e necessário que os produtores adotem essas orientações para que possamos passar por esse momento tão complicado de forma segura”, ressaltou o secretário de Estado da Agricultura, Paulo Foletto.

“Enquanto vários segmentos estão em crise por causa da pandemia, a agricultura, mais uma vez, ajuda a equilibrar a economia capixaba. O trabalho no campo não para. A colheita está só começando e o Incaper tem lançado mão de atendimento remoto e de todas as medidas seguras possíveis para continuar acompanhando os agricultores capixabas, promovendo soluções tecnológicas e sociais, por meio de ações integradas de pesquisa, assistência técnica e extensão rural. Isso gera emprego e renda no campo e na cidade, e movimenta outros setores, como a indústria e o comércio”, disse o diretor-presidente do Incaper, Antônio Carlos Machado.

Para Antônio Carlos Machado, o lançamento da colheita é um marco importante, pois mostra a força que a cafeicultura capixaba tem. “Este ano, estamos fazendo as coisas de um jeito diferente e isso demonstra nossa preocupação e nosso cuidado com a saúde, o bem estar e a qualidade de vida das pessoas”, completou.

O pesquisador do Incaper e coordenador técnico de cafeicultura, Abraão Carlos Verdin Filho, apontou que a adoção de tecnologias desenvolvidas e recomendadas pelo Instituto é fundamental para o bom desempenho da cafeicultura capixaba, mesmo diante de crise causada pela pandemia do novo Coronavírus.

“Um ponto que chama atenção é a modernização do parque cafeeiro do Estado, por meio da renovação das lavouras tanto de arábica quanto de conilon. As velhas plantações, menos produtivas, foram substituídas dando lugar às mais novas. O cafeicultor capixaba está plantando as variedades lançadas pelo Incaper e aplicando as tecnologias desenvolvidas e recomendadas pelo Instituto. Isso contribui substancialmente para melhorar as expectativas com relação à produtividade, à redução de custos e à qualidade”, disse o pesquisador do Incaper.

Sobre a cafeicultura capixaba

A produção de cafés no Espírito Santo em 2020 deve chegar a 14,1 milhões de sacas, segundo estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Deste total, espera-se colher cerca de 9,8 milhões de sacas de conilon e, aproximadamente, 4,3 milhões de sacas de arábica. O Estado ocupa a segunda posição com mais de 27% da produção nacional. É o maior produtor de conilon do Brasil, responsável por cerca de 20% do café robusta do mundo.

 “São, aproximadamente, 78 mil famílias envolvidas na atividade e 40 mil propriedades em 77 municípios. O café representa 37,48% do Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBPA)”, observou  Verdin.

Segundo o pesquisador do Incaper, nos últimos anos, o café conilon vem ganhando espaço em produção e consumo em níveis brasileiro e mundial. Os principais motivos dessa crescente demanda devem-se ao menor custo de produção em relação ao café arábica, além de ser mais rústico e produtivo. “Ele vem sendo misturado ao café arábica, com participação de até 50%, pelos seguintes motivos: boa solubilidade e por possuir bebida neutra, pelo seu maior valor industrial,  por ser mais encorpado, ser um café de preço mais baixo e por não interferir negativamente na bebida do arábica, desde que seja de qualidade superior”, explicou Verdin.

Leia mais:  Governador autoriza início da reforma de escola em Dores do Rio Preto
publicidade

Política e Governo

Governo do Estado inaugura três barragens em Santa Teresa

Publicado

O governador do Estado, Renato Casagrande, esteve, na manhã deste sábado (15), no município de Santa Teresa para a inauguração de três barragens: Afluente 25 de Julho, Cabeceira 25 de Julho e Itanhangá. As obras do Governo do Estado, por meio da Secretaria da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), trazem maior segurança hídrica para a região. O volume de armazenamento total é de 233.804 metros cúbicos de água, que vão beneficiar a população local nos períodos de escassez de chuvas.


“A água embeleza ainda mais essa comunidade. São R$ 3,5 milhões em investimentos aqui nessa região, além de uma retroescavadeira, que entregamos à prefeitura para atender os agricultores. Essa barragem dá mais segurança hídrica aos agricultores, pois sabemos que não existe produção sem água. Estamos vivendo com mudanças climáticas, com muitas chuvas em determinados períodos e outros com longas estiagens. Neste momento de seca, as barragens mantêm fornecimento de água aos produtores e aos moradores. Essa é uma medida de adaptação ao momento em que vivemos”, afirmou o governador Casagrande.


A ação faz parte do Programa Estadual de Construção de Barragens, que já entregou 22 empreendimentos em todo o Espírito Santo com investimento até o momento de R$ 50 milhões, proporcionando o armazenamento de mais de 15 bilhões de litros de água. “Desde o começo da nossa gestão estamos focados em levar melhores condições de vida e de desenvolvimento para as famílias rurais capixabas. É o compromisso do Governo e da Seag que está se concretizando”, ressaltou o secretário de Estado da Agricultura, Paulo Foletto.

Para a conclusão das obras, o Estado providenciou a construção de acesso ao monge, que facilitará a operação e manutenção das barragens, tornando-as mais seguras, uma vez que o acesso por meio de passarela metálica facilitará a chegada de pessoas e equipamentos que eventualmente se façam necessários nas atividades.

O prefeito de Santa Teresa, Kleber Medici da Costa, destacou a importância desses investimentos para a população. “É muito importante celebrar a vida através do que estamos vendo nessa barragem. Na gestão passada do governador, houve uma redução na burocracia para os licenciamentos, permitindo a construção de barragens como essa. Elas vão atender os agricultores em seu principal momento de desespero que é a seca. Apesar de sermos um polo turístico, a base da nossa economia é a agricultura”, pontuou.

“Mesmo na pandemia, a Seag não parou e estamos entregando equipamentos e melhorando as estradas. Iremos entregar ainda este ano mais quatro barragens que estão em fase final de execução e publicar o edital de mais seis projetos de barragens. Além de outras três barragens que já estão em fase de licitação. Essas obras vão permitir a reserva de água para a produção agrícola, que é muito forte no município”, salientou o subsecretário de Estado de Infraestrutura Rural, Rodrigo Vaccari.

Estiveram presentes a vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes; os deputados estaduais Marcelo Santos, Dary Pagung e Emilio Mameri; além de vereadores, secretários municipais e demais lideranças da região.

Leia mais:  Governo do Estado lança Nova Rede Abraço e inaugura nova sede do CAAD
Continue lendo

Política e Governo

Lewandowski reconhece reeleição de Erick Musso

Publicado

Ministro relator de duas ações que contestam recondução do presidente no comando da Casa proferiu voto na sexta (14); julgamento está suspenso devido a pedido de vista 

Em decisão nesta sexta-feira (14), o relator do processo de reeleição da Mesa Diretora do Parlamento capixaba – que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) – , ministro Ricardo Lewandowski, manifestou entendimento de que foi constitucional e legal a permanência do deputado Erick Musso (Republicanos) no comando da Casa por mais um biênio. 

O voto do relator está em sintonia com o parecer da Procuradoria da Assembleia Legislativa no sentido de que a reeleição da atual Mesa Diretora foi realizada dentro das regras e das orientações do STF. 

O ministro entendeu que vedações de novas reeleições para os mesmos cargos na Mesa Diretora dos legislativos estaduais só devem valer para o próximo biênio, preservando os processos já sacramentados referentes a 2021-2022.

A decisão foi semelhante a voto do ministro Gilmar Mendes, citado por Lewandowski, que ao opinar sobre a possibilidade de reeleição no Senado e na Câmara Federal, defendeu que as legislaturas em curso devem ser preservadas.

Pedido de vista 

O julgamento foi suspenso porque o ministro Alexandre de Moraes pediu vista dos dois processos relatados por Ricardo Lewandowski durante sessão virtual realizada pelo Pleno da Corte. Trata-se de duas Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs) movidas pelo partido Pros e pela Procuradoria Geral da República (PGR). A análise do caso está prevista para um desfecho até a próxima sexta-feira (21). 

“O que se vê no voto do relator é o reconhecimento de que se trata de uma discussão sobre alteração, ou não, do entendimento atualmente vigente; por isso seus efeitos devem ser futuros”, avaliou Erick Musso. 

O presidente da Assembleia Legislativa (Ales) acrescentou que ele e todos os membros da Mesa Diretora continuarão focados no desenvolvimento social e econômico do Espírito Santo diante da pandemia. “Continuamos trabalhando veementemente pelo povo capixaba, porque é esse o nosso propósito”, disse Musso ao comentar a decisão do relator dos processos. 

O procurador da Ales, Eduardo Rocha, que atua no caso, considerou que a decisão de Lewandowski apenas reforça o que “sempre pautou o Parlamento estadual e a Procuradoria da Casa, ou seja, o integral respeito e acatamento das orientações do STF na condução de suas atividades”. 

Leia mais:  Governo do Estado lança Nova Rede Abraço e inaugura nova sede do CAAD
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana