conecte-se conosco


Política e Governo

Expansão de leitos está no limite e doentes podem ficar sem UTI no ES, alerta secretário de Saúde

Publicado

Governo já tinha programado ampliação de leitos de UTI até abril. No entanto, secretário sinaliza que estratégia pode não alcançar velocidade da doença

O secretário de Saúde, Nésio Fernandes, alertou que a rede privada não tem mais leitos de UTI disponíveis para compra pelo SUS. Até abril, o estado conseguirá abrir o total de 900 leitos de UTI exclusivos para covid-19, o limite máximo da expansão. 

A partir desta quinta-feira (18), ficarão suspensas por duas semanas as atividades consideradas não essenciais em todo o Espírito Santo para conter o avanço da covid-19. Pela primeira vez, desde o começo da pandemia, a ocupação dos leitos de UTI ultrapassou a marca dos 90% na última terça-feira (16). 

De acordo com o secretário, atualmente não há nenhum paciente em estado grave aguardando vaga. No entanto, se a doença continuar crescendo pode haver um colapso no Sistema Único de Saúde do Espírito Santo. 

“Há um crescimento muito grande de pacientes graves, inclusive de pacientes que não são idosos e que não possuem comorbidades. Neste momento, alcançando 91% da ocupação hospitalar, estabelecemos ainda uma estratégia de ampliação de leitos na rede estadual. Porém, é preciso adotar medidas para que a gente não colapse, como aconteceu em outros estados que tardaram na realização de ações.”

O secretário afirmou que as medidas de distanciamento social propostas pelo Governo do Espírito Santo, precisam ser aplicadas para que a pressão no sistema de saúde diminua nas próximas semanas. 

Além disso, Nésio fez um alerta caso as ações não sejam cumpridas pela população. “Se falhar a estratégia e a população não aderir ao distanciamento estabelecido, se tivermos uma expressão de rebelião, desobediência civil, aviso a toda população que não haverá leitos para todos, nem mesmo para aqueles que tiverem dinheiro para comprar um hospital, não vão ter leitos”, afirmou.

Ampliação de leitos

O governo já tinha uma programação de ampliação de mais 200 leitos de UTIs até o final de abril. No entanto, o secretário sinaliza que a estratégia de aumento de leitos pode não alcançar a velocidade da doença registrada nos últimos dias. 

Nésio destacou ainda que espera que o fechamento total das atividades não essenciais diminua o número de pacientes com outras condições de saúde que demandam leitos.

 “Reduzir os pacientes de trauma, descompensação metabólica, além de outras necessidades que competem com o recurso hospitalar para atender pacientes com covid-19. Assim teremos uma melhor condição de garantir acesso ao leitos”, disse.

Rede privada não tem leitos

O secretário explicou que, com a suspensão das atividades em 2020, o governo teve a oportunidade de comprar leitos na rede privada. “No auge da ampliação de leitos do ano passado chegamos a ter 715 leitos. No entanto, agora estamos tendo que ampliar mais de 900 leitos de UTI dedicados a pacientes com a covid-19, ou seja estamos aumentando em 200 leitos a oferta”.

Sem profissionais de saúde

Nésio acrescentou que a rede privada já deixou claro que não consegue contratar profissionais para grandes expansões de leitos e também não consegue vender mais leitos para o SUS.

Atualmente, há 749 leitos de UTIs destinados à pacientes com covid-19 em todo o Espírito Santo. Diante da capacidade máxima de 900 leitos, o governo só conseguirá abrir mais 151 leitos. “Não será possível atender toda a população caso não tenha adesão ao distanciamento social”, finalizou o secretário. 

Leia mais:  Governador Casagrande visita parque fabril do Instituto Butantan, em São Paulo
publicidade

Política e Governo

E-commerce de móveis e decoração anuncia implantação de centro de distribuição no Estado

Publicado

O governador de Estado, Renato Casagrande, se reuniu, nesta sexta-feira (23), por meio de videoconferência, com representantes da MadeiraMadeira, maior loja on-line de móveis e decoração da América Latina. A empresa anunciou investimento da ordem de R$ 10 milhões na construção de um centro de distribuição, no TIM´s, no município da Serra.

A empresa tem planos de expansão da malha logística pelo Brasil e escolheu o Estado para instalar sua operação. O investimento se trata de um Fullfillment com área de 17.700 metros quadrados, que é um centro de distribuição com maior proporção. A estimativa é a geração de 120 vagas de empregos diretos e outras 100 de forma indireta.

Para o governador Casagrande, a notícia da chegada da empresa é bem-vinda para os capixabas e para o Governo. “Estamos felizes com os planos da MadeiraMadeira em investir no Estado com o centro de distribuição. Desejo que a empresa se sinta acolhida pelos capixabas e pelo Governo do Estado também. O Espírito Santo é um estado que tem condições institucionais boas, temos capacidade de investimento e para receber investimento também. Temos o prazer de receber quem tem interesse em se instalar e expandir negócios aqui. Inovação é um assunto que nos interessa muito e estamos criando todas as condições para que tenhamos um ambiente favorável no Estado”, disse.

O secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, destacou que o Governo vem investindo em inovação e que a MadeiraMadeira pode futuramente contribuir e compartilhar sua expertise com os capixabas.

“A notícia da implantação do centro de distribuição confirma que estamos no caminho certo e a geração de empregos para os capixabas é extremamente importante para nós. O investimento está intimamente ligado à inovação, porque a MadeiraMadeira surgiu no mercado como uma startup e hoje é um case de sucesso. Trabalhamos firmemente sob o comando responsável do governador Renato Casagrande para que pudéssemos superar os desafios da pandemia, amenizando seus efeitos sobre a economia e conseguimos. Agora, nossa meta é apostar na inovação, olhar para frente e trilhar o caminho do desenvolvimento sempre com ações planejadas, como temos feito”, afirmou Hoffmann.

Segundo o co-fundador da MadeiraMadeira, Marcelo Scandia, além do fullfillment a empresa possui as guideshop, loja física com uma unidade aberta em Vila Velha, e que até o mês agosto será inaugurada outra unidade também no município. “Somos um e-commerce e marketingplace, trabalhamos com um modelo híbrido para oferecer melhores e mais opções produtos para os clientes. Com a instalação de um centro de distribuição no Estado, nossa intenção é estar mais próximo do público consumidor e atender parte de Minas Gerais e do Nordeste. A operação de instalação no TIM´s deve ter duração de dois meses”, explicou.

Sobre a empresa

Ao longo de 2020, a MadeiraMadeira, criada há cerca de 10 anos, triplicou o número de centros de distribuição, para os 15 atuais. Entre eles, um em Jundiaí (SP), com o qual faz entregas com prazo de um dia na Grande São Paulo. Outros centros deverão ser abertos ao longo deste ano.

A plataforma pretende ampliar a prateleira de produtos de marca própria, hoje com cerca de 400 itens, expandir a rede de lojas físicas. Atualmente, a empresa tem cerca de dois mil funcionários.

Leia mais:  Governador Casagrande visita parque fabril do Instituto Butantan, em São Paulo
Continue lendo

Política e Governo

Desenvolvimento das regiões norte e noroeste capixaba foi tema de evento com empresários e lideranças locais em Colatina

Publicado

A promoção do desenvolvimento em todas as regiões do território capixaba é um dos pilares do Governo do Estado, que, por meio da Secretaria de Estado de Inovação e Desenvolvimento (Sectides), coloca em prática um modelo de atração de investimentos, investe em qualificação profissional e na oferta de crédito para empreendedores, entre outros programas. Esses foram alguns dos assuntos tratados nessa quinta-feira (22), no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), em Colatina, por representantes da Sectides, durante evento com empresários e lideranças locais das regiões norte e noroeste.

No encontro, o secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, salientou o trabalho intenso do Governo do Estado para amenizar os impactos da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), de modo a preservar vidas e não prejudicar o desenvolvimento. 

“Vimos cenas em outros estados e em outros países de pessoas perdendo a vida, devido à falta de respiradores. Mas, aqui, fizemos um trabalho de enfrentamento muito relevante, muito importante para os capixabas, para que pudéssemos superar dias difíceis e ultrapassarmos este momento. Espero que de agora em diante possamos só olhar para frente e retomar as atividades econômicas. E por que digo isso? Porque o Estado é, sem sombra de dúvida, o com o melhor ambiente de negócios do Brasil. Conseguimos reunir o poder público, instituições representativas do setor privado, academia e setor empresarial para discutirmos os problemas, as soluções e as oportunidades de maneira republicana e, juntos, fazer o Estado ir para frente. Seguimos esta orientação do governador Renato Casagrande para que os capixabas tenham um Estado forte e equilibrado”, pontuou o secretário.

O diretor-presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), Munir Abud de Oliveira, frisou a importância da concessão de crédito com condições facilitadas para a manutenção de empregos e apoio aos empreendedores para evitar maiores prejuízos à economia e ao desenvolvimento. “Estamos a conceder o crédito da forma mais simples possível, para que se possa atingir o maior número de empresas e, de fato, chegar à ponta daquele empreendedor que precise. Isso foi premissa máxima a nortear o trabalho do Bandes e entendemos que é crucial para fomentar a recuperação econômica do nosso Estado”, frisou.

“Temos aqui uma missão muito ampla que vamos trabalhar para a retomada econômica pós-pandemia. O Governo do Estado é o braço forte junto aos nossos municípios e junto às nossas instituições. Quanto ao desenvolvimento, temos uma dificuldade no País e no nosso Estado. Não é diferente com relação à qualificação profissional. Enquanto eu for parlamentar, quero trabalhar para encurtar esta distância entre os municípios e as instituições para ampliar a capacitação profissional. Este é o primeiro passo para a retomada econômica”, disse o deputado federal Josias Da Vitória.

Leia mais:  Casagrande vai tirar ônibus das ruas, prorrogar decreto e fechar construção civil e oficinas no ES
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana