conecte-se conosco


Política e Governo

Governo do Espírito Santo anuncia Plano de Investimentos Públicos de R$ 9 bilhões

Publicado

O governador do Estado, Renato Casagrande, anunciou, nesta segunda-feira (28), o Plano de Investimentos Públicos (PIP) do Espírito Santo, que representa um grande volume de investimentos para os próximos anos, com valor total de R$ 9 bilhões. O PIP contempla um amplo inventário de investimentos, em todas as áreas do Governo do Estado, envolvendo obras, equipamentos, tecnologia, entre outros, e que sob gerenciamento intensivo, serão realizados no Espírito Santo até dezembro do próximo ano.

Sob a coordenação das Secretarias de Economia e Planejamento (SEP) e de Governo (SEG), o PIP é uma ação que integra o Plano Espírito Santo – Convivência Consciente, que é um grande pacto construído com a colaboração entre setor público e privado.

Casagrande destacou que o PIP abrange investimentos que já estão sendo realizados e outros que serão potencializados nos próximos meses. “Estamos ajustando tudo aquilo que já conquistamos de 2019 até agora em termos de garantia de recursos para investimentos. Já temos R$ 9 bilhões garantidos para os próximos anos, especialmente, para este ano e o seguinte, oriundos de diversas fontes. Nós distribuímos esses recursos para diversas áreas, como segurança pública, turismo, cultura, desenvolvimento urbano e principalmente em infraestrutura e educação. São investimentos que vão tornar o Espírito Santo cada vez mais competitivo e com melhor qualidade de vida para a população capixaba”, afirmou.

O governador prosseguiu: “Junto com um estado bem gerenciado do ponto de vista das contas públicas também estamos fazendo entregas à população. Em 2019 nós já fizemos um investimento maior do que em 2018. No ano passado superamos o ano anterior e este ano vamos superar esse número. Porque não adianta a gente ter uma boa gestão do recurso financeiro se isso não retornar para a população. Nosso interesse é mantermos a melhor gestão fiscal do País, que conquistamos desde 2012 quando governei o Estado pela primeira vez, e fazer entregas importantes como todos podem ver.”

Casagrande lembrou que mesmo com o agravamento da crise econômica global causada pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), os investimentos não pararam. “O Governo do Espírito Santo seguiu fazendo entregas, ampliando o investimento público para que a gente possa retomar as atividades econômicas, gerando empregos, renda e oportunidades para os capixabas. O investimento público potencializa o investimento do setor privado ao atrair novos empreendimentos. Nosso objetivo é melhorar a vida das pessoas e também a prestação do serviço ao assegurar melhores condições de infraestrutura em todas essas áreas”, pontuou.

A vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes, também falou sobre a importância do Plano. “As pessoas têm que saber o que o poder público está fazendo. Assim, o Governo transforma austeridade e responsabilidade com os recursos públicos em escolas, praças e outras obras realizadas considerando a necessidade de cada região. Com os recursos bem aplicados, a resposta chega na ponta. Será possível oferecer serviços de qualidade como saúde, segurança pública, infraestrutura e educação. Nosso governo está no caminho certo da responsabilidade na administração pública, de empregar bem o dinheiro público e realizar investimentos de forma transformadora”, discursou.

PIP

O Plano de Investimentos Públicos contempla as seguintes áreas: Segurança Pública; Assistência Social; Saúde; Educação; Cultura; Justiça, Direitos Humanos e Cidadania; Saneamento; Infraestrutura; Ciência e Tecnologia; Agricultura; Comunicações; Esporte e Lazer; Meio Ambiente; Macrodrenagem; Turismo; Rodovias e Obras Estruturantes.

Entre os investimentos estabelecidos no plano, R$ 2,2 bilhões são destinados para o Saneamento; R$ 1,2 bilhão para Rodovias; R$ 1,1 bilhão para a Educação; R$ 781,2 milhões para Macrodrenagem; R$ 609 milhões para Infraestrutura; R$ 545 milhões para a Saúde; R$ 520 milhões para Segurança Pública; R$ 391 milhões para Obras Estruturantes; R$ 376 milhões para Ciência e Tecnologia; e R$ 217 milhões para Agricultura.

Leia mais:  Bancada federal capixaba destina R$ 51 milhões para o combate do novo coronavírus no Espírito Santo

O PIP foi estruturado com base no Decreto Nº 4797-R, de 07 de janeiro de 2021. Esse decreto instituiu o cadastro de investimentos públicos e inversões financeiras, estabelecendo a necessidade de que sejam devidamente cadastrados e avaliados para subsidiar a tomada de decisão e a elaboração dos orçamentos anuais.

O secretário de Estado de Economia e Planejamento, Álvaro Duboc, afirmou que o Plano proporciona uma aplicação eficiente dos recursos financeiros e prioriza os investimentos com maior impacto junto à sociedade. “É mais uma ação importante de um Governo que, desde o primeiro dia, trabalha com planejamento, possui organização fiscal e segue no caminho certo, sob a liderança do governador Renato Casagrande. Temos uma cultura de gestão fiscal e governança internalizada em nossa equipe de Governo. Isso é perceptível na capacidade de entrega nos dois primeiros anos da gestão”, disse.

Para Duboc, mesmo enfrentando a maior crise do último século com a pandemia, o Estado manteve os investimentos planejados. “Agora, avançamos ainda mais na governança e na gestão fiscal, implementando o PIP, uma ferramenta de gestão que qualifica os investimentos públicos para priorizar aqueles com maior relevância econômica e social”, asseverou.

Dentro do Plano foram criados fluxos para controle e acompanhamento dos investimentos, qualificando e garantindo ainda mais as entregas à população. O PIP terá um Comitê de Avaliação de Investimentos Públicos (CAIP), coordenado pelo secretário de Governo e composto pelos secretários de Economia e Planejamento, da Fazenda e de Gestão e Recursos Humanos.

“O Estado consolidou um trabalho de planejamento, priorizando projetos que serão realizados nos próximos anos. Realizamos um trabalho detalhado, levantando os investimentos de todas as secretarias e elaborando todo o planejamento de arrecadação. Ampliamos nossa capacidade de organização com o PIP, para que possamos realizar o máximo possível, dentro dos próximos dois anos”, declarou o secretário de Estado de Governo, Gilson Daniel.

O Plano contempla todos os municípios capixabas com investimentos, com base no Plano de Governo e outros documentos, como o Plano de Desenvolvimento 2030, no Plano Plurianual, no Planejamento Estratégico do Governo do Estado e também nas Audiências Públicas para a elaboração dos orçamentos.

Plano Espírito Santo — Convivência Consciente

O secretário de Estado de Inovação e Desenvolvimento, Tyago Hoffmann, reforçou que o PIP é mais uma iniciativa dentro do Plano Espírito Santo – Convivência Consciente, criado para estimular a retomada econômica capixaba e com destaque no que é necessário para a qualidade de vida das pessoas, dos capixabas.

“É uma iniciativa que está relacionada diretamente ao pacote do Plano Espírito Santo – Convivência Consciente, anunciado no ano passado. O anúncio feito neste evento confirma o compromisso do governador Renato Casagrande com o desenvolvimento das cidades, das regiões e a qualidade de vida dos capixabas. Também é possível monitorar os investimentos do PIP no painel de monitoramento no site do Plano Espírito Santo de forma rápida, acessível, simplificada e com transparência”, disse Hoffmann.

O Plano ES é um conjunto de ações envolvendo órgãos do poder público e do setor produtivo para promover o desenvolvimento econômico, priorizando as pessoas, com o objetivo de reduzir os impactos sofridos pela população capixaba em decorrência da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). São previstos mais de R$ 32 bilhões em investimentos dos Governos Federal, do Estado e do setor privado até o final de 2022. A estimativa é de que sejam criadas mais de 100 mil vagas de emprego. Mais informações podem ser obtidas no site: https://planoes.es.gov.br/

Leia mais:  Governo do Estado avança na regularização fundiária da Fazenda Maruípe

Educação

Durante o evento de anúncio do PIP, o Governo do Estado anunciou a liberação de R$ 200 milhões para edital do Fundo Estadual de Apoio à Ampliação e Melhoria das Condições de Oferta da Educação Infantil e do Ensino Fundamental no Espírito Santo (Funpaes). Os recursos fazem parte dos R$ 1,1 bilhão previstos dentro do Plano para a área da Educação. Com a alteração da Lei nº 11.527, em maio último, o alcance do Funpaes foi ampliado: seu alcance também chega às unidades escolares do Ensino Fundamental, antes voltado apenas para o Ensino Infantil.

Os recursos são destinados para obras de reforma, ampliação e construção de escolas, podendo ser aplicados também na aquisição de equipamentos, mobiliários, recursos tecnológicos, veículos (vans, ônibus escolares e caminhão de carga), mobiliário pedagógico, mobiliário escolar, equipamentos de cozinha industrial, aquisição de Sistema de Microgeração de Energia Elétrica, entre outros bens permanentes.

“Hoje estamos lançando simbolicamente este edital que estabelece o regime de colaboração com os municípios capixabas. Esse investimento vultuoso será dirigido especificamente para os municípios adesos ao PAES”, explicou o secretário de Estado da Educação, Vitor de Angelo.

O Funpaes integra o eixo Planejamento e Suporte do Pacto pela Aprendizagem no Espírito Santo (PAES), sendo um fundo de natureza financeira e contábil que vigorará até o ano de 2026. O fundo tem por finalidade ampliar e melhorar o acesso à educação das crianças e dos adolescentes da Educação Infantil e do Ensino Fundamental, mediante transferência financeira a municípios capixabas signatários do Pacto pela Aprendizagem no Espírito Santo.

Para pleitear os recursos, o município deverá apresentar um Plano de Aplicação e a documentação exigida no Edital de Chamamento. Para ser contemplado o edital estabelece  alguns critérios na avaliação do plano de aplicação, como a necessidade de vagas da rede municipal; a menor receita per capita do município beneficiário, conforme dados apurados pelo Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN); as condições da rede física escolar e dos recursos pedagógicos; a contrapartida do município para o processo da reorganização das matrículas nas redes Estadual e Municipais; a adesão do município à Plataforma Busca Ativa Escolar do Unicef.

O município deverá ter (ou alterar) sua lei municipal que institui o Fundo Municipal para execução dos recursos do Funpaes, bem como atestar que possui nos quadros da Secretaria o Coordenador Municipal do Paes (instituído de acordo com a legislação do Paes). Os que enviaram propostas no edital de 2018 e 2020 poderão (se optarem) reapresentar as propostas.

Na ocasião, o secretário da Educação apresentou as ações realizadas pela pasta nos últimos três anos, como o Programa EscoLAR, os investimentos em tecnologia, tais como a aquisição de 60 mil chromebooks para distribuição aos alunos, o auxílio para compra de equipamentos de informática para os profissionais da educação e o pagamento de ajuda de custo para o pacote de dados de internet. “Também estamos com um volume de R$ 614 milhões em obras na rede estadual com um total de 325 obras. Investimento que soma aos já feitos nos municípios”, lembrou.

Vitor de Angelo também citou outras ações como Bônus Desempenho, parcerias, ampliação das escolas de Tempo Integral, realização de Avaliação Diagnóstica junto aos alunos durante a pandemia, entre outros. 

publicidade

Política e Governo

Veja o perfil dos 7 candidatos ao governo do Espírito Santo em 2022

Publicado

Neste ano, sete candidatos disputam a vaga para o Palácio Anchieta. Veja a lista e o perfil de quem está no páreo para ser o governador do Espírito Santo

Nas eleições deste ano, sete candidatos disputam o cargo de governador. São eles, em ordem alfabética: Aridelmo Teixeira (Novo), Audifax Barcelos (Rede), Carlos Manato (PL), Cláudio Paiva (PRTB), Guerino Zanon (PSD), Renato Casagrande (PSB) e Vinícius Sousa (PSTU).

O Folha Vitória acompanha as publicações no TSE das candidaturas e vai atualizar a lista dos candidatos à medida que houver mudanças. 

No caso do pedido de candidatura do ex-prefeito de Linhares Guerino Zanon, a reportagem teve acesso ao extrato do seu pedido de registro de candidatura. No entanto, até às 19h desta segunda-feira (15), a solicitação ainda não constava da base de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), cujo sistema não é atualizado automaticamente

O primeiro turno será realizado em 02 de outubro e um eventual segundo turno para governador e/ou presidente ocorrerá em 30 do mesmo mês.

Veja abaixo quem são os candidatos ao governo do ES:

Veja o perfil de cada um dos candidatos:

Aridelmo Teixeira

Natural de Governador Valadares, em Minas Gerais, o professor e empresário Aridelmo Teixeira é cofundador da FUCAPE Business School. Aos 57 anos, o candidato ao governo do Espírito Santo já atuou como secretário da Fazenda da prefeitura de Vitória, de 2021 a 2022.

Doutor em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo (USP), mestre em Ciências Contábeis pela FGV/RJ e graduado em Ciências Contábeis, atualmente Aridelmo é coordenador do InspiraES, plataforma de gestão de voluntários para o desenvolvimento de políticas públicas, fundada por ele em 2019 por meio do Instituto Fucape de Tecnologias Sociais (IFTS).

O candidato também já foi presidente institucional da ONG “Espírito Santo em Ação”, além de compor o time de fundadores do Instituto Líderes do Amanhã.

Aridelmo é membro Intergovernmental Working Group of Experts on International Standards of Accounting and Reporting / United Nations Conference for Trade and Development (ISAR /UNCTAD).

Ainda na educação, o empresário também atuou como membro da Comissão de Assessoramento na área de Ciências Sociais Aplicadas na FAPES, na CAPES e no CNPq.

Audifax Barcelos

Aos 58 anos, Audifax Barcelos já acumula 34 de experiência na gestão pública. Casado, pai de dois filhos e evangélico, o ex-prefeito da Serra atualmente é membro da Primeira Igreja Batista de Vitória, onde já atuou como diácono e professor da escola bíblica dominical.

Formado em Economia e Administração pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), a trajetória profissional do também ex-deputado federal, teve início entre os anos de 1982 e 1986, quando assumiu o cargo de auxiliar administrativo da prefeitura de Vitória.

Leia mais:  Governo do Estado lança primeiro portal específico para desaparecidos do País

Passado um ano, Audifax iniciou a carreira de economista na administração da Capital. Tempos depois, entre 1988 e 1989, foi secretário de Planejamento de Vila Velha.

A partir daí, Audifax atuou como secretário de Administração de Vitória e, também, como diretor do Departamento de Administração da Ufes.

Com uma densa história com a Serra, onde foi prefeito por três mandatos, Audifax começou a vida na gestão do município no setor de Administração, entre os anos de 1997 e 2000. Pouco tempo depois, o atual candidato ao governo do Estado, se elegeu como deputado federal por dois anos, em 2011 e 2012.

Carlos Manato

Nascido em Alegre, o médico e ex-deputado federal Carlos Manato agora está na disputa pela posição de governador do Estado. Presente na política capixaba desde 2003, Manato já ocupou o posto de deputado federal por quatro vezes.

Com a vida acadêmica voltada à área da Saúde, Manato é pós-graduado em Medicina do Trabalho, pela Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (Emescam), e em Colposcopia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). 

O candidato também é pós-graduado em Administração Hospitalar e especialista em Ginecologia e Obstetrícia.

Na Câmara dos Deputados, já foi membro das seguintes comissões: Turismo, Agricultura, Pecuária, Abastecimento, Desenvolvimento Rural, Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços, entre outras.

Em sua carreira,  o político já trabalhou como professor na Emescam, médico no Instituto Estadual de Saúde Pública; foi diretor-clínico e diretor-geral do Hospital Dório Silva, além de diretor-clínico e diretor-presidente do Hospital Metropolitano.

Cláudio Paiva

Aos 62 anos, pai de três filhos e morador de Guarapari, na região metropolitana do Estado, o contador e administrador de empresas Cláudio Paiva trabalha, há mais de trinta anos, como consultor empresarial e com gestão de pessoas.

Ainda em sua trajetória profissional, Paiva  atuou na educação durante 16 anos, como professor de graduação e pós-graduação, além de trabalhar como terapeuta e psicanalista. É pós-graduado e doutor em Psicanálise Clínica e, atualmente, gerencia uma clínica, onde atende dependentes químicos.

De maneira voluntária, Cláudio também presta serviços para a “Rede Mulher”, uma organização que acolhe mulheres vítimas de agressão por parte dos companheiros e que foram colocadas para fora de casa. 

Guerino Zanon

Natural do município de Rio Bananal, interior do Espírito Santo, Guerino Luiz Zanon começa a jornada ainda aos 13 anos quando decide sair de casa para estudar em um internato no interior de Colatina.

Tempos depois se mudou para Linhares, onde trabalhou em uma padaria e em um hotel. Ainda na juventude, com a ajuda de familiares, Guerino se mudou para Vitória para entrar na universidade.

Guerino é formado em Física pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Ainda nos primeiros anos do curso, começou a dar aulas em um pré-vestibular que, anos depois, lhe conferiu a experiência suficiente para fundar, ao lado da esposa, o Colégio Cristo Rei e a Faculdade de Administração e Ciências Contábeis de Linhares.

Leia mais:  Rio Bananal: TRE-ES julga primeiro caso de fraude em cota de mulheres e pode cassar o mandato de vereadores hoje

A carreira política de Zanon começou em 1996, quando ele decidiu se afastar da direção das instituições de ensino para disputar a primeira eleição para prefeito de Linhares. Guerino esteve à frente do Executivo municipal por cinco mandatos.

Ainda na política, o ex-prefeito também já atuou como deputado estadual duas vezes, sendo que em 2006 foi o deputado estadual mais votado da história do Espírito Santo. Nesse mesmo ano, foi presidente da Assembleia Legislativa.

Guerino também foi secretário estadual de Esportes e Lazer por duas vezes, entre os anos de 2005 e 2006; e de janeiro a junho de 2016.

Renato Casagrande

Nascido em Castelo, no Sul do Estado, Renato Casagrande é formado em Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, e em Direito pela Faculdade de Direito de Cachoeiro de Itapemirim.

Casado, pai de dois filhos e atual governador do Espírito Santo, Casagrande já atuava na esfera política antes de ocupar o Palácio Anchieta. 

Durante sua vida pública, Casagrande já exerceu os cargos de senador, deputado federal, vice-governador e deputado estadual. Também já foi secretário de Estado da Agricultura, secretário de Meio Ambiente no município da Serra e de Desenvolvimento Rural, em Castelo.

Além da atual gestão, Casagrande já foi governador do Estado de 2011 a 2015. De 2015 a 2018, o atual chefe do Executivo estadual foi presidente da Fundação João Mangabeira, dedicada a discutir e difundir o socialismo democrático (se opondo ao capitalismo).

Capitão Sousa

Capitão da Polícia Militar, bacharel em Direito e membro do Movimento Policiais Antifascismo, Vinícius Sousa é natural de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. Casado com Marcelle Sillis Bilo e pai de três crianças, o capitão, que reside no município de Castelo, constituiu família em solo capixaba.

Após concluir os estudos, terminou por forma-se professor. Em seguida, atuou na vigilância sanitária, onde se aposentou.

Na juventude, o candidato trabalhou como “office boy”. Durante esse período, entrou para o curso de Direito, e fez estágios em diversas funções, para custear os estudos.

Também trabalhou nas procuradorias municipais de Belo Horizonte e Vitória, além da Secretaria de Planejamento, Habitação e Desenvolvimento Urbano de Cariacica.

A carreira na Polícia Militar começou em 2008, quando foi aprovado, em primeiro lugar, no concurso para soldados e precisou desistir do curso de Direito. Em 2012, Vinícius foi aprovado no concurso para Oficiais da PM, formando-se em 2014, e só então conseguiu retomar o curso e se formar em Direito.

Continue lendo

Política e Governo

Partidos têm até as 19h de hoje para as últimas definições da eleição

Publicado

Às 19 horas desta segunda-feira (15) encerra-se o prazo para que os partidos informem ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) os dados sobre candidatos e coligações desta eleição. O prazo é somente para o envio presencial, com mídia entregue na sede do TRE, uma vez que o período para o envio pela internet se esgotou às 8 horas, segundo a Lei das Eleições (Lei 9.504/1997) e a Resolução do TSE 23.609/2021.

Algumas coisas ainda precisam ser definidas. Dos sete candidatos ao governo, quatro já estão registrados no portal do Divulgacand do TSE. São eles: Aridelmo (Novo), Audifax (Rede), Capitão Sousa (PSTU) e Casagrande (PSB). Já Manato (PL), Guerino (PSD) e Cláudio Paiva (PRTB) ainda não foram registrados.

Guerino ainda precisa definir o nome que vai concorrer em sua chapa como vice e seu candidato ao Senado. Segundo a assessoria do candidato, o anúncio deve ser feito na tarde de hoje.

Dos oito candidatos ao Senado também, apenas quatro já têm o registro. São eles: Idalécio Carone (Agir), Erick Musso (Republicanos), Filipe Skiter (PSTU) e Gilbertinho Campos (Psol). Ainda faltam: Rose de Freitas (MDB), Nelson Júnior (Avante), Magno Malta (PL) e Antônio Bongestab (PRTB). Alguns candidatos ao Senado ainda precisam bater o martelo com relação aos suplentes, como Rose e Malta que, até então, constam com suplentes provisórios.

Leia mais:  Conselho garante mais transparência às ações da Fundação Renova

Ainda há dúvidas, também, sobre as coligações dos partidos. O Pros, por exemplo, no final de semana, desfez o que foi definido nas convenção partidária e saiu da coligação de Casagrande para apoiar Audifax. Há uma movimentação do partido na instância nacional e também estadual e até 19h uma nova reviravolta pode ocorrer. Em outras eleições, como em 2018, mudanças foram feitas no último minuto.

Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana