conecte-se conosco


Pinga fogo

Pinga-Fogo – Novembro

Publicado

Por Zene Lagace

Do inferno ao Céu

Parece algo incomum, mas tratando-se da política do município de São Mateus é normal um político no café da manhã ser o vilão e no jantar ser alçado aos píncaros da glória. Foi o que aconteceu com o vereador Carlinhos Simião (Podemos), a única voz verdadeiramente de oposição que, durante a sessão em que foi votada a instalação de uma Comissão Processante de Investigação, fez severas críticas ao prefeito afastado o que o levou a ser alvo de vaias, ofensas e gritarias histéricas de algumas vivandeiras e aliados do prefeito preso e – sabe-se lá por que – solto como se indícios não houvessem para mantê-lo com toda a sua gangue na cadeia.

Simião se manteve na sua posição clara de opositor destemido e ao final, quando estava sendo encaminhado para o cadafalso, surgiu uma luz no fim do túnel e o céu se abriu e ele foi ovacionado pela assistência que compareceu à sessão. Até quem o vaiava foi cumprimentá-lo dizendo que ele era o melhor e os outros todos fichinhas.

Moral da história: nesse caso, os últimos serão os primeiros, até porque é comum os últimos serem os últimos. Carlinhos Simião conseguiu com sua estabanada defesa, que a Comissão Processante fosse criada e até, para surpresa dos incrédulos, virou seu presidente. Coisa que só o mateense entende…

==============================================================

Bye bye, minha comadre e meus compadres

O radialista e candidato na última eleição para a Prefeitura de São Mateus, Carlinhos Lyrio, está deixando o seu antigo partido – Podemos – para se filiar ao Republicanos. O que se comenta é que seus membros não foram avisados e nem todos se surpreenderam, até porque a troca de partido no Brasil, por interesse eleitoral, é mais fácil do que ser leal a uma legenda.

 No lugar certo

O historiador, Eliezer Nardoto, foi nomeado curador dos museus do município de São Mateus. Ele já esteve à frente dessa incumbência e foi quem deu vida e organização a esses museus. Ao sair, ficaram semiabandonados e agora, com a sua nomeação, pode voltar ao tempo em que melhor esteve conservado e ativo para que todos pudessem adquirir conhecimento do passado glorioso da cidade histórica de São Mateus.

Disputa debaixo da marquise

Caso seja verdade a filiação do ex-prefeito Amadeu Boroto e do radialista Carlinhos Lyrio para o mesmo partido, tem gente – só de molecagem – sugerindo que disputem a vaga na “porrinha”, um joguinho muito popular que é jogado com palitos de fósforos fechado em uma das mãos. Par ou Ímpar?

Vai dar ruim para um ou outro.

Tendência Multiface

Em qualquer município organizado o aluno da rede municipal de ensino tem seu uniforme padronizado. Em São Mateus cada escola manda fazer o seu. E em vários municípios a Prefeitura fornece de graça.

EM TEMPO

• O eleitor mateense tem dificuldade de reclamar da administração. Foi ele quem aprovou o primeiro mandato do prefeito afastado e o reelegeu. Opções teve, mas preferiu permanecer com a turma do macacão listrado…

• O que se pode esperar de um País que permite um condenado por roubo ter a oportunidade de virar presidente? Isso não é democracia, é impunidade.

• Assim como no Brasil, São Mateus não é para amador: Cafeu prefeito!

• “Eu acuso aqui hoje, o ministro Alexandre de Morais, de ser, a maior ameaça à democracia brasileira.” – Augusto Nunes, novembro de 2021, no programa “Os Pingos nos Is”, da Jovem Pan.

• Gilberto Gil e Fernanda Montenegro se tornaram “Imortais” ao serem eleitos para a Academia Brasileira de Letras. Com todo respeito à obra artística-cultural dos dois, mas daí a ocupar cadeiras na ABL é um pouco forçado. Já não se faz Machados de Assis como antigamente…

• Afinal, Daniel volta ou Cafeu fica? A “justiça” só atrapalha ao criar tantas possibilidades de fatos virarem conjecturas que se resumem em impunidade.

Leia mais:  Pinga-Fogo - 1ª Quinzena de Agosto
publicidade

Pinga fogo

Pinga-Fogo – 1ª Quinzena de Outubro

Publicado

Por Zene Lagace

Salada, saladinha, saladão dos omissos mateenses

A prisão do prefeito Daniel da Açaí, do município de São Mateus, vem mostrar que ter mandado não é passaporte para praticar atos ilícitos, como se a prefeitura fosse de sua propriedade. Até mesmo aquelas pessoas que ficavam como guardiãs do mandatário, destratando pessoas que precisavam dos serviços da municipalidade. Tudo isso virou uma torre de babel levando o prefeito e sua gangue para a prisão.

Mas a prisão do prefeito não isenta instituições estaduais, lideranças locais e partidos políticos da sua atitude omissa em relação às ações criminosas do mandatário festeiro mateense. Até um fato emblemático de um promotor de justiça sobre um trio elétrico rasgando seda para o prefeito foi testemunhada pela multidão que frequentava, naquele momento, o balneário de Guriri.

E a Câmara de Vereadores, o que fez? O que fiscalizou? E agora, são culpados pela omissão por não exercerem o princípio máximo do legislativo que é fiscalizar o Executivo na aplicação dos recursos orçamentários?

Para fazer justiça, vale destacar que, apenas o movimento SOS São Mateus, composto por cidadãos comuns, desde a sua criação, combateu as insanidades da administração pública de São Mateus. Não se viu nenhuma autoridade participarem de suas reuniões, apenas faziam chacota do movimento. E agora, não seria o momento de trocar os omissos por aqueles corajosos integrantes do SOS São Mateus? Ali estava a verdadeira bandeira do combate a sacanagem e a defesa dos cidadãos de bem do município de São Mateus. Ter mandato não significa grande coisa quando não o dignifica. O cidadão de bem tem mais valor que um mandatário que usa métodos pouco republicanos para se eleger.

====================================================================

Disputa cabeluda

Não há nenhuma informação sobre a corrida para a disputa em conseguir as mexas dos cabelos do prefeito Daniel, dono de uma vasta cabeleira. É que todo preso tem seus cabelos raspados, daí o interesse no material usado para confeccionar perucas.

Cerveja choca

Em São Mateus todo o mundo político sabia que o João da Antártica era a eminência parda da administração do prefeito Daniel da Açaí. Com a operação policial que o levou para a cadeia, já tem gente dizendo que colocaram água no chope do João.

Balaio de gatos, um legado…

Não custa lembrar. Afinal recordar é sofrer duas vezes com alguns prefeitos. A prisão do atual prefeito e das irregularidades encontradas em seu governo, não nos permite esquecer, que a prática da corrupção não é novidade no município de São Mateus. É coisa antiga. A diferença é que agora “deu ruim” para o Daniel e sua turma. O assalto foi muito escancarado, talvez achando que algum poderoso pudesse garantir suas ações criminosas. O legado de outras

administrações é extenso, mas a omissão das autoridades que deveriam combater as irregularidades, o saque aos recursos públicos, também.

EM TEMPO

• O prefeito Daniel, dono de trios elétricos, dançou!

• Os paladinos da moralidade agora vão aparecer “cagando regras”. Se esconderam todo o tempo, deixando as denúncias para poucos mateenses. Vale lembrar que no próximo ano tem eleições.

• Daniel Santana, prefeito preso de São Mateus, não praticou nada que não tivesse sido praticado em outras administrações. Vamos deixar de hipocrisia. Só que tem profissionais competentes em lesar o Erário. A atual administração usou amadores ou incompetentes no trato com o ilícito. Deu ruim!

• Omar Aziz, Renan Calheiros, Lula, José Dirceu… o time é uma seleção de gatos, gatunos e gatões.

• Vou parar para não “roubar” a paciência e o tempo do leitor. O STF pode mandar nos prender.

Leia mais:  Pinga-Fogo - Janeiro
Continue lendo

Pinga fogo

Pinga-Fogo – Setembro

Publicado

Por Zene Lagace

Sucata eletrônica

A propaganda veiculada pelo Supremo sobre a segurança e eficiência das urnas eletrônicas pode ser definida como fake? A Polícia Federal tem um relatório do próprio Supremo que fala da invasão do sistema por um hacker. Isso quer dizer que ela não é segura, não é auditável e não tem nenhuma segurança. O que impede de melhorar o sistema eleitoral com urnas confiáveis e de tecnologia mais avançada como fizeram vários países que usam as urnas?

As atuais urnas eletrônicas brasileiras são obsoletas e não confiáveis, exceto para aqueles que tem a intenção de fraudar resultados eleitorais.

==============================================================

Picadeiro

Para quem assiste as sessões da CPI da Covid, cujo objetivo é investigar a omissão do governo federal no combate a pandemia, não passa de uma ação eleitoreira, que usa o palco da CPI para apenas investigar adversários do governo e finge não vê aonde está a verdadeira corrupção, como o Consórcio do Nordeste. Chega a ser irritante a postura dos sete senadores, a cara-de-pau desses “nobres representantes” da nação brasileira. Uma vergonha.

Sem noção

Nada mais justifica a ausência dos deputados estaduais capixabas nas sessões daquela Casa de Leis. Se podem participar das sessões de dentro dos seus veículos no trânsito, porque não seguem em direção a Assembleia para cumprir com sua obrigação de representar os capixabas? Chega a ser hilário, para não dizer vergonhosa essa atitude. Vamos botar essa gente para trabalhar!

Aliás, representatividade política dos cidadãos não existe. Cada parlamentar, com raríssimas exceções, representa seus interesses, seu grupo e dos seus apaniguados (ou puxa-sacos).

No próximo ano vão aparecer na porta do eleitor, muitos candidatos a santo e, o eleitor desmemoriado, deve reconduzi-los a permanecerem no paraíso parlamentar. De quatro em quatro anos essa missão é realizada País a fora e abençoada por leis que não servem mais, exceto sacramentar uma representatividade que não representa coisa alguma.

EM TEMPO

•. Assistir nossos deputados participando das sessões na Assembleia Legislativa, tem-se a impressão que estão em Marte, falando ou defendendo coisas incompreensíveis e de pouca relevância para a vida do cidadão capixaba. As exceções são raras.

• O politicamente correto emburreceu o Brasil e os brasileiros. Basta atentar para o que se privilegia, o que se ouve de música e o que se prega de moralidade. Tudo às avessas.

• Por que o servidor público tem o privilégio de ter mais vantagens do que o trabalhador da iniciativa privada, aquele que, verdadeiramente, produz as riquezas para que o País prospere e as castas de barões da República usufruem do suor desses brasileiros comuns?

• Qual a lógica para cada parlamentar, aqui e em Brasília, terem veículos pagos pelo contribuinte? Que cada um use o aplicativo e chame o Uber ou use seu carro particular. E não pode ter qualquer garantia trabalhista, até porque política não é profissão.

• Os verdadeiros poderes constitucionais da República deveriam ser apenas aqueles em que a população vota em seus membros: Executivo e Legislativo. O Judiciário deveria ser apenas um órgão de estado?

Leia mais:  Pinga-Fogo - Janeiro
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana