conecte-se conosco


Política e Governo

PSB nega que tenha perdido pré-candidatos e se enfraquecido para a disputa eleitoral

Publicado

O Partido Socialista Brasileiro (PSB), de São Mateus, através dos seu vice-presidente, Reginaldo Aleixo, nega que tenha perdido membros do seu quadro de pré-candidatos a vereador e que tenha saído enfraquecido da reunião que promoveu com seus filiados, na última segunda-feira (22).

A resposta do partido é em decorrência de boatos que circularam no meio político mateense que o PSB teria perdido pré-candidatos a vereança e que supostamente terá dificuldade de fazer legenda que o possibilite a eleger representantes para o legislativo. De acordo com comentários, o problema tem sido a escolha do nome de Elisângela Nascimento, a Preta, como pré-candidata a prefeita de São Mateus e por contar com o apoio de lideranças locais e em nível estadual. Alguns membros defendem o nome do vereador Carlos Alberto que está no seu sexto mandato e é mais conhecido nos meios políticos do município.

“O partido está aberto a todo filiado que queira colocar seu nome como pré-candidato, mas somente depois da realização da convenção partidária é que será definido e oficializado o nome que irá representar o PSB no pleito eleitoral para vereador e prefeito”, afirmou Reginaldo Aleixo, seu vice-presidente da legenda em São Mateus. Para ele, não há imposição do nome de Preta e o que ocorre é que ela tem se articulado e isso a fortalece na sua intenção de pré-candidata. “Além disso, Preta tem um passado de luta junto à comunidade e por sua capacidade acabou até sendo convidada para ser assessora do senador Marcos Du Val (Podemos)”, lembrou Reginaldo.

Leia mais:  Governo do Estado lança projeto Carteira de Identidade Solidária
publicidade

Política e Governo

Governador sanciona lei que reduz ICMS do arroz e feijão no Espírito Santo

Publicado

O governador do Estado, Renato Casagrande, sancionou a Lei nº 11.473, que isenta a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre o arroz e feijão no Estado do Espírito Santo. A nova lei foi publicada na edição desta segunda-feira (29) do Diário Oficial do Estado e já entrou em vigor. Pelo texto, a alíquota anterior para esses produtos era de 7% e agora está zerada.

“A elevação do preço dos itens da cesta básica, como o arroz e feijão – tão consumidos pelos brasileiros – afetou a todos, principalmente, aqueles que mais necessitam. Com a redução do ICMS, espera-se que o preço ao consumidor seja reduzido, tornando a cesta básica mais barata. Essa ação se soma a outras que estamos adotando diante do atual contexto de insegurança alimentar, como a prorrogação do Cartão ES Solidário por mais dois meses, beneficiando cerca de 87 mil famílias capixabas”, afirmou o governador Casagrande.

O secretário de Estado da Fazenda, Marcelo Altoé, destacou a importância da isenção das alíquotas, sobretudo num momento em que grande parte da população passa por dificuldades econômicas. “Esperamos que a redução do ICMS resulte na queda do preço do arroz e do feijão para o consumidor final. Sabemos que esses dois produtos são essenciais para a população e em tempos de inflação e alta no preço da cesta básica, tenho certeza que essa medida ajudará muita gente”, disse.

De acordo com Altoé, a renúncia fiscal será de aproximadamente R$ 40 milhões por ano, contudo, o benefício para a população supera essa perda financeira para o Estado. “Ficamos muito contentes quando o texto foi aprovado pelos deputados estaduais e esperávamos a sanção do texto pelo governador”, acrescentou o secretário.

Leia mais:  Governador Casagrande participa de reunião com enviado especial dos Estados Unidos para o clima
Continue lendo

Política e Governo

Fundo Soberano do Espírito Santo é tema de debate entre empresários

Publicado

“A criação do Fundo de Investimento em Participações vinculado ao Fundo Soberano do Espírito Santo é uma iniciativa inédita o País”, com esta afirmação, o diretor-presidente do Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), Munir Abud de Oliveira, abriu sua apresentação sobre o Fundo, durante o 12° Meeting de Líderes Industriais, no último fim de semana, em Domingos Martins.

O evento foi promovido pela Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), com o apoio do banco de desenvolvimento capixaba, e reuniu cerca de 150 representantes de empresas e setores econômicos. “O banco tem buscado estar presente em diversos eventos como este para que os empresários possam conhecer a nova ‘cara’ do banco capixaba, cumprindo a missão que o governador Renato Casagrande nos deu, elaborando produtos modernos, inovadores e que podem contribuir para a retomada do investimento no Estado. Para nós, é imprescindível que os empresários possam ter acesso aos recursos do banco de desenvolvimento”, destaca o diretor-presidente.

Durante a apresentação, Munir Abud de Oliveira trouxe um pouco do histórico da instituição capixaba, que vai completar 55 anos em 2022, sempre atuando com a função de promover financiamentos para o desenvolvimento da economia do Estado, financiando, por meio de empréstimos de médio e longo prazos, micro, pequenas e médias empresas na aquisição de máquinas e equipamentos, capital de giro e financiamento a projetos.

Além dos financiamentos, o Bandes vem elaborando, desde 2020, uma solução inédita no Estado e no País para a atração de investimentos: o Fundo de Investimentos em Participações FIP Funses 01, com R$ 250 milhões iniciais, para o aporte em empresas de diferentes estágios.

O processo de seleção foi coordenado pelo banco capixaba. A empresa TM3 Capital foi classificada em primeiro lugar na chamada pública e está e fase de diligência. Para mostrar aos empresários participantes do evento como funcionará o Fundo, o diretor da TM3 Capital, Marcel Martins também falou sobre a tese do FIP.

A gestora de venture capital selecionada administrará o fundo, constituído, exclusivamente, com os recursos do Fundo Soberano (Funses). “A criação de um FIP veiculado ao Fundo Soberano é uma iniciativa estratégica para o novo ciclo econômico capixaba. Trata-se de um mecanismo de vanguarda da gestão pública dentro das políticas de desenvolvimento mundiais, aliando progresso econômico com responsabilidade social. O que o novo fundo nos permite é, a partir do investimento de receitas provenientes da indústria do petróleo e do gás natural, buscar a atração de novos negócios, com emprego e renda para população”, acrescentou Munir Abud.

A gestora selecionada terá um papel imprescindível em todo o processo, sendo responsável pela análise das empresas, valoração, negociação, investimento, aceleração e desinvestimento. Via de regra, após a análise, negociação e diligências, o Fundo adquire um percentual de suas ações, ou seja, o FIP prospecta empresas e entra como sócio acionista por um período determinado.

“Como acionista, o fundo traz experiência e boas práticas que apoiam a gestão e a governança da empresa. Assim, com o tempo, a empresa ganha expertise e resultados”, complementa o diretor-presidente.

Leia mais:  Falta de licenciamento ambiental impede obras na BR-101, diz ANTT
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana