conecte-se conosco


Mundo Cristão

Reabertura de igrejas será sem cantar para não propagar o coronavírus, na Inglaterra

Publicado

O governo da Inglaterra estabeleceu as precauções que as igrejas precisam tomar quando reabrirem para o culto público a partir de 4 de julho. 

As orientações publicadas incluem uma série de restrições ao culto, com as igrejas orientadas a evitar cantar e usar instrumentos de sopro.

As igrejas estão se preparando para retomar o culto público depois de poderem abrir para orações particulares no início deste mês. 

A orientação foi produzida com conselhos da comunidade científica e da Força-Tarefa de Locais de Culto do Governo, composta por líderes religiosos. 

“Os locais de culto desempenham um papel importante no fornecimento de liderança espiritual para muitas pessoas e na união de comunidades e gerações”, diz o documento.

“No entanto, sua natureza comunitária pode torná-los lugares particularmente vulneráveis ​​à propagação do COVID-19”. 

Casamentos e funerais podem ser retomados com até 30 participantes. O culto comunitário pode ocorrer com números mais altos, sujeitos a um distanciamento social estrito. 

Os locais de culto são aconselhados a adaptar cerimônias e serviços para que sejam “concluídos no menor tempo razoável”, com os participantes “encorajados a seguir em frente, para minimizar o risco de contato e a disseminação da infecção”.

“Se apropriado, você deve reconfigurar os espaços para permitir que os fiéis se sentem em vez de ficarem em pé, o que reduz o risco de contato”, diz a orientação. 

Também recomenda que, sempre que possível, os locais de culto continuem transmitindo eventos ao vivo para evitar grandes reuniões e “continuem alcançando aqueles indivíduos que se isolam ou são particularmente vulneráveis ​​ao COVID-19”. 

As igrejas devem usar folhas de serviço de uso único e material devocional ou livros limpos num intervalo de 48 horas entre os usos.

As congregações são instruídas a “evitar cantar, gritar, levantar vozes e / ou tocar música em um volume que dificulte a conversa normal ou que incentive a gritar”.  

“Isso se deve ao potencial de aumento do risco de transmissão de aerossóis e gotículas”, diz a orientação.

O tocar de instrumentos “que são soprados deve ser especificamente evitado no culto ou nas devoções e nos ensaios”.

“Onde a música tem um papel importante no culto e há gravações disponíveis, sugerimos que você considere usá-las como uma alternativa ao canto ao vivo.

Não ficou definido sobre quem é a responsabilidade caso haja uma propagação de coronavírus em um local de culto, para que todos os líderes da igreja sejam instados a seguir as diretrizes.

Outras sugestões no documento sugerem que o dinheiro não deve passar pelas mãos; portanto, as doações online devem ser incentivadas; no entanto, se não houver opção – o dinheiro fornecido deve ser mantido em um contêiner e não tocado por vários dias.

Outros aspectos da vida da igreja, como grupos de jovens e escolas dominicais, são permitidos, mas não necessariamente aconselháveis. Os líderes da Igreja são incentivados a realizar avaliações de risco para garantir que todas as atividades sejam “seguras”.

Aqueles que desejam prestar serviços ao ar livre são incentivados a tomar precauções extras sobre segurança.

Embora as igrejas tenham recebido liberdade para reabrir a partir de 4 de julho, espera-se que muitas não o façam. A Aliança Evangélica diz que as conversas que teve com os membros é que não haverá pressa.

Alguns sugeriram que ‘igreja híbrida’ pode ser o futuro, com opções para assistir online e pessoalmente no futuro próximo.

Leia mais:  Padre é preso por desviar dinheiro da igreja para orgias gays e drogas
publicidade

Mundo Cristão

‘Bíblia Manuscrita’ será lançada nesta terça no Templo de Salomão

Publicado

Cópia do Livro Sagrado começa a ser escrita hoje. Bispo Edir Macedo será o primeiro a escrever uma das passagens Bíblicas

Nesta terça-feira (7), às 17h, no Memorial das Doze Tribos de Israel, localizado no Jardim Bíblico do Templo de Salomão, será lançada a Bíblia Manuscrita, uma cópia do Livro Sagrado que começa a ser escrita hoje e será produzida de modo colaborativo por mais de 30 mil pessoas, cada uma transcrevendo um dos seus versículos. O Bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal, será o primeiro a participar, escrevendo de próprio punho uma das passagens Bíblicas. A obra é uma iniciativa da Unigrejas (União Nacional das Igrejas e Pastores Evangélicos). 

Lideranças evangélicas e autoridades serão convidadas para participar da produção da Bíblia Manuscrita. Os versículos serão copiados em páginas em branco que v]ao ser distribuídas pela Unigrejas em todo o Brasil. A ação terá início em todas as capitais, simultaneamente.

“A Bíblia é um livro que fala de Fé, esperança, de perdão, de amor ao próximo e de tolerância”, explica o presidente da Unigrejas, Bispo Eduardo Bravo. “É difícil acreditar que um livro como esse esteja sendo tão bombardeado, inclusive com leis criadas para impedir a presença da Bíblia em bibliotecas e em lugares públicos”, comenta.

“A partir dessa situação, desse combate que está ocorrendo contra a Bíblia, surgiu a ideia de chamar a atenção para o Livro Sagrado e mostrar a todos que a Bíblia é uma obra atual. Aqueles que leem essa Palavra adquirem sabedoria, porque recebem instrução de uma obra inspirada por Deus.”

A edição da Bíblia Manuscrita terá o apoio e a supervisão da Sociedade Bíblica do Brasil, uma entidade sem fins lucrativos.

Depois de concluída a cópia, o volume será encadernado e exposto ao público.

“Nosso objetivo é chamar a atenção das pessoas para a Bíblia. Busca-se o conhecimento em faculdades e em livros, mas a Bíblia é a verdadeira fonte da sabedoria”, conclui o presidente da Unigrejas.

Agenda – Lançamento da Bíblia Manuscrita

Data: terça-feira (7)
Horário: 17h
Local: Memorial das Doze Tribos de Israel, localizado no Jardim Bíblico do Templo de Salomão. Av. Celso Garcia, 605 – Brás, São Paulo (SP)

Leia mais:  Padre é preso por desviar dinheiro da igreja para orgias gays e drogas
Continue lendo

Mundo Cristão

Frequência à igreja cai e congregações lutam para encontrar voluntários

Publicado

A pandemia de Covid-19, ainda em andamento, está afetando os hábitos das pessoas em relação à frequência à igreja no Reino Unido

Isso é o que diz a Aliança Evangélica do Reino Unido (EAUK, sigla em inglês) em seu relatório “Changing Church” (Igreja em Mudança, em tradução livre) publicado em novembro de 2021. Cerca de 1.600 membros da igreja e 550 líderes da igreja do Reino Unido participaram da pesquisa.

Quase todas as igrejas, diz o relatório, voltaram às reuniões pessoais semanais (95%). Mesmo assim, 6 em cada 10 igrejas decidiram continuar a oferecer algum tipo de serviço online (abaixo dos 84% ​​no outono de 2020, quando as restrições eram maiores).

“A participação presencial caiu de uma média de 124 participantes antes da Covid para 85 no outono de 2021” no Reino Unido. O número de entrevistados dizendo que frequentam os cultos da igreja pessoalmente em uma base semanal também caiu, de 92% antes da crise da Covid-19 para 68% agora.

“De acordo com nossa amostra de membros da igreja, uma grande proporção reduziu a regularidade de sua frequência à igreja de semanal para uma ou duas vezes por mês”.

Um número ainda alto de 23% dos cristãos comprometidos pesquisados ​​dizem que participam de alguma forma de atividades da igreja online uma vez por mês.

Mas 13% dizem que não vão mais à igreja que frequentavam antes da pandemia. “9% estão frequentando uma igreja diferente pessoalmente, 2% estão frequentando uma igreja diferente online”, diz o relatório.

Menos voluntariado

6 em cada 10 líderes de igreja pesquisados ​​dizem que perceberam “uma diminuição no voluntariado em sua igreja”. 3 em cada 10 membros da igreja admitem que passam menos tempo servindo no contexto da igreja, em contraste com 5 em cada 10 que dizem que seu tempo dedicado ao serviço não mudou.

Entre as possíveis razões para a queda do número de voluntários estão: “voluntários que veem a Covid-19 como uma oportunidade de ‘se aposentar’” ou “voluntários que perderam o hábito de frequentar a igreja e outros hábitos o substituíram”.

Doações financeiras para a comunidade da igreja também sofreram uma queda nos últimos dois anos. Enquanto 15% dos líderes da igreja relataram um aumento nas doações financeiras, 60% descreveram uma diminuição .

Ministérios de crianças e jovens

Os ministérios de jovens e crianças também sofreram. 24% das igrejas que ofereciam ministério para jovens antes da pandemia não estão mais oferecendo.

Quando questionados sobre o ministério infantil, 19% das igrejas não estão mais oferecendo devido à crise da Covid-19. Outro relatório recente focado no trabalho com crianças nas igrejas também pinta um quadro negativo do impacto da pandemia. “O ministério com crianças não foi tão priorizado como o ministério com adultos”, concluíram.

Leia mais:  Sinais do fim dos tempos ‘devem nos motivar a permanecer firmes e fiéis’, aconselha pastor
Continue lendo

São Mateus

Política e Governo

Segurança

Camisa 10

Mais Lidas da Semana